“Boiada de Salles agora disparou”, diz Angela Mendes, filha de Chico Mendes

49
0
COMPARTILHE
Foto: Marizilda Cruppe/Greenpeace

Filha do líder seringueiro diz que governo Bolsonaro age para fragilizar instrumentos de fiscalização como forma de servir “ao grande capital” e à “elite dominante”

Em entrevista ao Fórum Café desta quarta-feira (30), a ambientalista Angela Mendes, filha do líder seringueiro Chico Mendes, fez duras críticas ao governo de Jair Bolsonaro em relação aos recentes ataques às políticas de proteção ambiental. Para ela, o governo age para fragilizar os instrumentos de fiscalização como forma de servir ao “grande capital” e à “elite dominante”.

“É a boiada de Salles passando. Começou a passar no início de 2019 e agora disparou”, iniciou a ambientalista, citando a frase dita pelo ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, na reunião ministerial do dia 22 de abril. Na ocasião, Salles disse que aproveitaria as atenções voltadas ao coronavírus para “ir passando a boiada” na legislação ambiental.

Questionada sobre a crescente devastação ambiental no governo Bolsonaro, especialmente em relação às queimadas na Amazônia e Pantanal, Angela confirma que os ataques “dispararam” no mandato do ex-capitão. Como ambientalista, Angela atua no combate a degradação dasflorestas do Acre e é Representante do Conselho das Populações Extrativistas.

“Eu não considero esse governo apenas negacionista. Ele é negacionista, mas também extremamente nefasto e destruidor. Age no sentido de fragilizar e destruir os sistemas que contribuem para a fiscalização e controle sobre os territórios e sobre as políticas públicas ambientais”, afirma Angela Mendes. uando ele tentou extinguir o Ministério do Meio Ambiente, foi sucateando órgãos como Ibama, ICMBio, Funai, que são órgãos imprescindíveis e responsáveis por políticas para pessoas que moram em territórios extrativistas, nas terras indígenas e quilombolas. Foi uma série de ações que vieram no sentido de mostrar claramente os interesses por trás desse governo, que está a serviço do grande capital e da elite dominante”, continuou.

A ambientalista também criticou a revogação por Salles de resoluções do Conselho Nacional de Meio Ambiente (Conama) de proteção ambiental para restingas e manguezais. “Colocam os manguezais e restingas em um perigo eminente. Prova, mais uma vez, o que está por trás de tudo isso”, afirma.

Assista à entrevista completa:

Revista Fórum

COMPARTILHE

RESPONDER PARA:

POR FAVOR ENTRE COM SEU COMENTÁRIO!
POR FAVOR ENTRE COM SEU NOME