Contee reforça posição radical contra a reforma da Previdência

844
0
SHARE

A mobilização da última quarta-feira (15), em que mais de 1 milhão de trabalhadores e trabalhadoras em todo o Brasil tomaram as ruas contra a reforma da Previdência e outros ataques do governo Michel Temer aos direitos trabalhistas, mostraram a força da classe trabalhadora e sua capacidade de resistência e de luta. No entanto, a insistência do presidente ilegítimo de que a reforma não retirará direitos de ninguém — uma mentira deslavada frente ao desmonte de toda a Seguridade Social que a Proposta de Emenda à Constituição (PEC 287/16) promove — e o acinte representado pelo jantar oferecido por Temer aos senadores do PMDB no mesmo dia 15 marcado por intensos protestos mostram que nossa mobilização não pode parar.

Uma avaliação da jornada de lutas, desde o Seminário de Negociação Salarial e Reforma da Previdência promovido pela Contee no início de fevereiro, passando pelas manifestações do Dia Internacional da Mulher e do 15 de março, foi feita hoje (16) pela Diretoria Executiva da Confederação. Os diretores se reuniram em Brasília para, entre outros temas, discutir o planejamento da luta a partir de agora. Isso inclui a continuidade da campanha nacional contra o #RouboDaPrevidência, lançada na semana passada pela Contee.

Durante o encontro, os diretores, unanimemente, enfatizaram o acerto total da análise e das ações da Contee na atual conjuntura política, em especial nos dias 8 e 15 de março, salientando o caráter vitorioso das mobilizações. A Contee reforça sua posição de ser radicalmente contrária à reforma previdenciária, à reforma trabalhista e aos projetos de terceirização, reiterando que a luta deve ser intensificada para derrubar todas as tentativas do governo ilegítimo de Temer de retirar direitos dos trabalhadores e do povo brasileiro.

A reunião contou com a presença de Max Leno de Almeida, supervisor do escritório do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) em Brasília, Dieese, convidado a apresentar a entidade, à qual a Contee se filiou em fevereiro, à Executiva. Almeida fez uma análise sobre as medidas que o governo vem tomando, como a PEC do teto de gastos — que limitou os investimentos públicos por 20 anos, afetando direitos sociais básicos, como saúde, educação, segurança pública e assistência social —, a política de juros e a própria PEC 287.

Também participou da reunião o assessor do Sinproep-DF Marco Antônio Campanella, que tratou sobre a movimentação na Câmara Federal em relação à reforma da Previdência, sobre a apresentação de emendas, a atuação junto aos deputados etc. Todas essas ações visam a barrar os ataques aos direitos de todos os trabalhadores e trabalhadoras, em especial os professores e professoras da educação básica, categoria que sofre o prejuízo considerável, conforme mostra o programa especial da TV Contee lançado na semana passada.

A reunião da Executiva continua nesta sexta-feira (17). A Confederação permanecerá fortemente engajada na luta por nenhum direito a menos!

Da redação

Fotos: Alan Francisco de Carvalho

RESPONDER PARA:

POR FAVOR ENTRE COM SEU COMENTÁRIO!
POR FAVOR ENTRE COM SEU NOME