Constituinte na Venezuela, vitória espetacular do Chavismo e da democracia!

136
0
COMPARTILHE

Por José Nivaldo Mota*

A hipocrisia global das elites financeiras não tem limites, agora atacam ferozmente a Venezuela, com boicotes, manifestações diárias, violência e terrorismo.

Desde quando Hugo Chávez chegou à presidência daquele país, a direita mundial, capitaneada pelos Estados Unidos, tenta barrar o processo da Revolução Bolivariana, através de boicotes e ações internas que chega a possibilidades de uma guerra civil.

Mesmo assim, a vitória eleitoral do chavismo foi espetacular, “a presidenta do CNE, Tibisay Lucena, afirmou que o processo constituinte teve 41,53% de comparecimento do eleitoral às urnas, totalizando 8.089.320 votantes. ‘Nosso agradecimento e reconhecimento a todos os venezuelanos, não só àqueles que foram votar, mas inclusive àqueles que não foram, mas também se negaram à violência’, afirmou Lucena”. (Portal Vermelho)

Diferente do Brasil, que também teve o seu governo de cunho popular, mas não enfrentou como vem enfrentando o governo Maduro, tanto a direita local como também a multinacional, o governo Venezuelano, chegou aos pobres dos mais pobres, sempre relegados à extrema pobreza pelas elites locais.

Os vínculos estabelecidos pelas camadas esquecidas pelo estado venezuelano ao longo dos séculos foram muito bem assistidos pelos governos de Chávez e Maduro, através do seu partido, o PSVU, e das ações dos grupos bolivarianos criados para serem redes de transmissões destas políticas.

O que alimentou as massas venezuelanas, o que ainda as alimenta, não foram somente ações políticas do Estado no acerto da superação da miséria e das conquistas sociais nunca antes vistos. A bem da verdade, os setores mais empobrecidos da população da Venezuela, são aqueles que hoje saem às ruas para protestar a favor do governo, entendendo de forma clara, o quão nocivas são as manifestações da direita golpista local e quanto de retrocesso virá se esses grupos hostis à classe operária ganharem o poder.

Quando o governo Maduro propõe a criação de uma Constituinte, arriscando todo processo de construção de uma Venezuela soberana, próspera para o seu povo, a direita mundial, com seus vassalos, inclusive o lambe botas Aloisio Nunes Ferreira no Brasil (Marighela deve estar se revirando no túmulo), vem chamar um presidente eleito de ditador sanguinário. É de uma hipocrisia sem tamanho!

Mais fácil seria o governo ter proposto mudanças no caráter do Estado venezuelano sem passar por crivo de ninguém, de nenhuma força política, mas como, de fato, o processo democrático na Venezuela não é e nunca foi ditatorial, por isso convocou-se uma Constituinte para se definir como será daqui para frente o Estado venezuelano e suas prioridades. Mais do que isso, a Constituinte na Venezuela é um exemplo para o mundo, pelo seu caráter democrático, além dos eleitos pelo povo, representações estudantis, movimentos sociais do campo e da cidade e sindicais terão assento para rediscutir o Estado venezuelano.

O medo de ser minoria fez com a direita na Venezuela, utilizando-se dos meios de comunicação local e mundial, utilizando o financiamento direto dos Estados Unidos, promovesse toda esta situação de confrontos e violência para levar a uma situação de caos, ela própria como geradora da violência e de atentados terroristas, esperando inclusive por medidas tresloucadas do governo Donald Trump.

A imprensa mundial distorce tudo, podemos ver isso no Brasil. Passam uma imagem de que o governo Maduro é ditatorial, mas isso é uma grande mentira. Há toda uma orquestração para derrubar este governo, como fizeram no Brasil, mas não vão conseguir, pela relação direta que os governos bolivarianos conseguiram ter com as mais amplas massas, que não querem mais voltar àquela situação do passado, onde a fome imperava!

Para terminar, a hipocrisia dos que deram o golpe no Brasil, hoje todos eles vêm dizer que na Venezuela se rasgou a Constituição, que agora é ditadura e que o governo brasileiro não reconhece a Constituinte.

Óbvio que não reconhecem, até porque foram eles que rasgaram uma Constituição, a nossa, a brasileira, quando fizeram o impeachment da Dilma sem ela ter cometido crime algum! Ditatoriais são os que nos governam aqui hoje, uma corja de bandidos, quadrilha organizada, covil de maloqueiros que dirige a nação, ainda vêm querer dar lição de moral em um governo democrático e legítimo como o da Venezuela, é muita cara de pau!

Quem está levando o Brasil para um estado de exceção são estes que estão no poder, com o apoio do judiciário e da mídia golpista. Quem arrebentou as históricas conquistas trabalhistas e quer acabar com a Previdência Social são estes facínoras que estão no poder! Desde quando Temer assumiu, consumado o golpe, que a violência no campo impera, com quase 50 assassinatos no campo de sem terras.

Este governo brasileiro é ilegal, não o da Venezuela, somente para esclarecer, Maduro foi eleito pelo povo, não tomou o poder pela força, como pode ser comparado a um ditador? Pura mentira e hipocrisia do imperialismo estadunidense e de seus vassalos pelo mundo!

*José Nivaldo Mota é vice-presidente do Sinpro-AL e membro da Diretoria Plena da Contee

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here