Unimep demite violando normas internas e externas

281
0
COMPARTILHE

A Universidade Metodista de Piracicaba (Unimep)f realizou demissões violando normativas externas e internas. Apesar de solicitações, o Sinpro de Campinas e Região ainda não recebeu a lista dos demitidos, embora a empresa tenha se comprometido a enviá-la até 28 de dezembro.

Foram demitidos “dezenas de professores que dedicaram toda a sua vida acadêmica à universidade – ao ensino, pesquisa e extensão –, em uma construção coletiva de um projeto político pedagógico de qualidade comprometido com a formação técnica, humana e crítica de inúmeras gerações”, denuncia Conceição Fornasari, secretária geral do Sinpro de Campinas e Região.

A primeira justificativa patronal foi de “altos salários”. Como o Sinpro demonstrou nomes de docentes que não se enquadravam nesse critério mercadológico, alguns de uma clara perseguição política (por pertencerem à diretoria do Sinpro ou das Associações Docentes da Universidade ou do Colégio Piracicabano, onde foram demitidos quase metade de todo o corpo docente), a reitoria admitiu outros critérios, como “avaliações que demonstraram dificuldades de relacionamento, posturas e até falta de decoro” (contestadas veementemente pelo Sindicato), e adequação ao orçamento.

Reunião dia 10

O Sinpro realizou reunião com os professores e traçou estratégias de mobilização e de ações jurídicas. Protocolou denúncias ao Ministério Público do Trabalho Federal, que respondeu ao Sindicato, que está encaminhando os documentos necessários para os próximos passos. Também entrará com processos de reintegração dos docentes e outras medidas cabíveis. Nova reunião com os docentes será realizada dia 10, quarta-feira.

“Algumas faculdades discutiram o processo de demissões e apresentaram nomes de professores, e o Conselho da Faculdade de Engenharia, Arquitetura​ e Urbanismo (FEAU) aprovou documento de repúdio a essa atitude da reitoria, que considerou irregular e que trará ‘consequências muito graves para o Projeto Institucional da Unimep'”, informa Fornasari.

Carlos Pompe

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here