COMPARTILHE

A Contee fez hoje (25) o lançamento da campanha nacional “Apagar o professor é apagar o futuro” dentro da Conferência Nacional Popular de Educação, em Belo Horizonte. O coordenador-geral da Confederação, Gilson Reis, exibiu os vídeos da campanha ao público que encheu o Foyer do Nível 3 do Expominas, onde aconteceram as atividades da entidade, e destacou os cinco elementos principais que, segundo ele, embasam a luta contra a desprofissionalização do magistério.

O primeiro, de acordo com Gilson, é o tripé piso/jornada, carreira e formação. No setor privado de ensino, por exemplo, a maioria dos docentes é horista, obrigada a trabalhar por jornadas exaustivas, com um grande número de horas-aula, sem plano de cargos e salários e sem incentivo à formação. O segundo elemento apontado pelo diretor da Contee é o debate da questão de gênero, já que a categoria é formada, em grande parte, por mulheres, sobretudo no ensino fundamental, que enfrentam o mesmo processo de desvalorização de toda mulher trabalhadora.

A terceira questão que justifica a campanha, para Gilson, é o fato de que a educação é uma das vias essenciais para a construção de um projeto de desenvolvimento soberano para o país, o que não é possível desvalorizando a atividade docente. Já o quarto ponto engloba as medidas do governo golpista que atingem diretamente as políticas educacionais, entre as quais a reforma do ensino médio e a permissão para a contratação por “notório saber”, precarizando ainda mais a formação e a profissão e transformando a docência em “bico”, sem qualquer compromisso com um projeto pedagógico e sem discutir o papel da educação.

Por fim, Gilson destacou o pacote formado pela reforma trabalhista, pela terceirização irrestrita e pela proposta de reforma da Previdência. “Pejotização, terceirização, trabalho intermitente torna o trabalho precário sob todas as formas. Isso representa o desmonte da nossa carreira”, enfatizou. “Esses são os elementos que precisamos discutir de forma muito intensa com os professores e professoras. Não é uma campanha da Contee, é uma campanha da educação.”

Camisetas da campanha “Apagar o professor é apagar o futuro” foram distribuídas e fizeram sucesso entre os participantes, que fizeram fila para pegá-las. O movimento no estande da Contee no saguão principal do Expominas também foi intenso, com delegados/as e observadores/as da Conape fazendo fotos com os lápis, capelos e escudos da Confederação em defesa da educação.

Por Táscia Souza

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here