EMENTA: Apela ao sr. Paulo Skaf, presidente da Fiesp, do Sesi e do Senai, que reveja sua decisão de fechar unidades de ensino técnico e reduzir a carga horária dos professores.

EMENTA: Apela ao sr. Paulo Skaf, presidente da Fiesp, do Sesi e do Senai, que reveja sua decisão de fechar unidades de ensino técnico e reduzir a carga horária dos professores.

Exmo Sr. Presidente,

nos últimos dias, professores e alunos das unidades do Sesi e do Senai têm sofrido, segundo relatos da Fepesp, ameaças de demissões em massa e de drásticas reduções da carga horária, além do fim do período integral – medidas que prejudicariam milhares de estudantes e profissionais da educação. Tais ameaças estariam partindo da própria direção do Sesi e do Senai, sob a alegação de que está prevista uma queda de arrecadação em 2016, motivada pelo corte de 30% nas verbas do Sistema S, anunciado pelo governo federal. No entanto, o sr. Paulo Skaf, presidente da Fiesp, do Sesi e do Senai, tem aparecido na mídia como garoto-propaganda e patrocinador de uma campanha milionária intitulada “Não Vou Pagar o Pato”, cujo objetivo é incentivar a sonegação de impostos no Brasil.

Diante do exposto, apresento a seguinte moção de apelo:

“A Câmara Municipal de Campinas apela ao senhor presidente da Fiesp, do Sesi e do Senai, Paulo Skaf, que reveja sua decisão de fechar unidades de ensino técnico, de reduzir a carga horária dos professores e decretar o fim do ensino em período integral, uma vez que estas medidas prejudicariam milhares de estudantes e de profissionais da educação, contribuindo para o desemprego e a evasão escolar no Estado de São Paulo. Se a prioridade do Sesi e do Senai é a educação de qualidade,  por que os cortes têm de cair justamente sobre os professores?”. 

Que do deliberado seja dado ciência por ofício ao sr. Paulo Skaf, presidente da Fiesp e do Sesi/Senai (Av. Paulista, 1313, CEP 01311-923, São Paulo/SP), com cópia ao sr. Celso Napolitano, presidente da Federação dos Professores do Estado de São Paulo (Rua Machado Bittencourt, 317 – 11º andar, Vila Clementino, CEP 04044-000, São Paulo/SP) e ao sr. Carlos Virgílio Borges, presidente do Sindicato dos Professores de Campinas (Av. Profª Ana Maria Silvestre Adade, 100, Pq. Das Universidades, CEP 13086-130, Campinas/SP).

Campinas, 26 de outubro de 2015

GUSTAVO PETTA
Vereador | PCdoB

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

12  +    =  18

Botão Voltar ao topo