Fepesp: Unimep, Umesp — greve na pauta

78
0
COMPARTILHE

Mobilização de professores e funcionários se espalha pelos campi da Metodista

Professores da Unimep – Universidade Metodista de Piracicaba tem assembléia às 19h30 desta sexta, feira, 14/02. Na pauta, deflagração de greve, motivada pelo o atraso de pagamento de salários, décimo terceiro e férias.

“O corpo docente da Unimep vem sofrendo com o desmonte do projeto pedagógico da universidade, desorganização acadêmica pelo sistema implantado de forma autoritária e com o descaso completo da Rede Metodista perante as condições de vida e de trabalho da categoria”, afirma o Sinpro Campinas (veja aqui: http://bit.ly/2SlPaqw).

Umesp, ABC – Funcionários da Universidade Metodista de São Paulo, em São Bernardo, incluindo os professores, professoras e os trabalhadores administrativos decidiram manter o estado de greve em assembleia realizada na noite da sexta-feira, dia 7, na Câmara Municipal de São Bernardo do Campo.

O Sinpro ABC (Sindicato dos Professores do ABC) e o Saae (Sindicato dos Auxiliares de Administração Escolar), conduziram a assembleia que se estendeu até as 21 horas.Os trabalhadores aceitam o parcelamento das verbas de 2019 (dezembro, décimo terceiro e férias, além de vales alimentação e refeição) em 8 vezes a partir de maio e,  somente se, ocorrer o pagamento de novembro para todos os professores e o pagamento do vale transporte para todos os auxiliares até o último dia útil de fevereiro (28/02).Os funcionários também exigiram informes de rendimentos para IR.Não ocorrendo os pagamentos de novembro e vale transporte até 28/02, ficou decidido que haverá paralisação de um dia em 02/03 com ato às 18h na rua Sacramento.

Os profissionais decidiram ainda produzir um documento como manifestação de repúdio a ser entregue no Ministério Público do Trabalho.

No ano passado, professores da universidade e do colégio chegaram a fazer greves que duraram pelo menos dez dias cada. Ambas situações encerraram após acordo da Justiça do Trabalho. Entretanto, Edilene Arjoni, presidente do Sinpro ABC, lembrou que a instituição descumpriu todas as determinações do TRT (Tribunal Regional do Trabalho) e do MPT (Ministério Público do Trabalho).

Saiba mais no site do Sinpro ABC, aqui.

Da Fepesp

COMPARTILHE

RESPONDER PARA:

POR FAVOR ENTRE COM SEU COMENTÁRIO!
POR FAVOR ENTRE COM SEU NOME