Feteerj: O secretário de cultura de governo federal copia discurso de ministro de Hitler

68
0
COMPARTILHE

É inadmissível, perigoso e ilegal o que fez o secretário de Cultura (antigo cargo de ministro da Cultura): ele divulgou nessa quinta-feira (16) um vídeo oficial de sua pasta, em que ele, o secretário, faz uma fala, copiando um trecho de um discurso do ministro da propaganda da Alemanha nazista de Hitler, Joseph Goebbels, tendo ao fundo o áudio de uma ópera de Wagner, músico cultuado pelos nazistas por causa de seu antissemitismo.

A situação é tão patética que chegamos a duvidar, mas, acredite, é verdade.

No discurso, entre outros absurdos, o secretário prega o revisionismo da história, arte e cultura do país; isso tendo como base o que ele chamou de uma “arte heroica e nacional”. O que isso quer dizer? Vai rever a discussão sobre a escravidão ou sobre o colonialismo português, por exemplo? Quer dizer que os artistas, escritores, cineastas e poetas antes desse governo não eram “nacionais” e, por isso, são inimigos e deverão ser varridos de nossa cultura?

Esse secretário é o mesmo que atacou, ano passado, a atriz Fernanda Montenegro, chamando-a de mentirosa e sórdida, em uma tentativa de defender o atual presidente da República.

Voltando: pode-se até dizer que essa situação criada pela divulgação do vídeo é um diversionismo do governo para que a mídia se afaste do escândalo de corrupção, também gravíssimo, que atinge o secretário de Comunicação, braço direito da Presidência – a Folha de São Paulo descobriu que o secretário de Comunicação recebe, por meio de uma empresa da qual é sócio, dinheiro de emissoras de TV e de agências de publicidade contratadas pela própria Secretaria, ministérios e estatais do governo Bolsonaro, o que configura conflito de interesse, crime previsto em lei.

No entanto, entendemos que o secretário de Cultura, ao citar o filósofo nazista Goebbels, ao som de Wagner, o músico predileto de Hitler, cometeu crime de estímulo à ideologia de ódio.

Diante de tudo isso, a Feteerj repudia esse ato absurdo perpetrado por um agente de estado, reivindica que o secretário de Cultura seja afastado de imediato e que o Ministério Público abra investigação por suposto crime de ódio.

ACRÉSCIMO À NOTA: o secretário de Cultura que copiou trecho de discurso de ministro de Hitler foi demitido no início da tarde dessa sexta (17). Mas não basta: o Ministério Público Federal tem que investigar se foi cometido crime de apologia ao ódio.

Feteerj

COMPARTILHE

RESPONDER PARA:

POR FAVOR ENTRE COM SEU COMENTÁRIO!
POR FAVOR ENTRE COM SEU NOME