Lockdown de três semanas salvaria 22 mil vidas

Carta aberta assinada por cientistas, pesquisadores e economistas defende lockdown de 3 semanas para salvar 22 mil vidas neste mês. Assinam o documento o ex-ministro Luiz Carlos Bresser-Pereira e o economista Luiz Gonzaga Belluzzo

Nesta quarta, 7 de abril, foi comemorado o Dia Mundial da Saúde. A data, neste ano, é lembrada em meio ao agravamento da pandemia e dos efeitos da crise sanitária na atividade econômica. O Brasil já ultrapassou a marca de 330 mil mortes pela Covid-19.

Para tentar reverter esse cenário, mais de 30 especialistas lançaram o Movimento “Abril pela Vida”, que propõe um conjunto de medidas com recomendações para conter o avanço da doença no Brasil.

Segundo os especialistas, além reduzir o número de mortes, três semanas de lockdown poderiam dar tempo para a vacinação de quase todos os idosos acima de 60 anos e dificultar o surgimento de novas variantes.

Para neutralizar as perdas econômicas, o documento propõe a concessão de parcela única de Auxílio Emergencial a indivíduos e para micro e pequenas empresas. Neste caso, o valor ficaria em torno de R$ 1 mil por pessoa. A proposta é fundamentada em estudos desenvolvidos pela Impulso Gov, organização brasileira de saúde pública, que apontam que o avanço da vacinação no Brasil terá impactos positivos a partir do mês de maio.

“Seriam necessários cerca de R$ 36 bilhões para financiar o Auxílio para indivíduos e R$ 3,3 bilhões para as pequenas e micro empresas. Este programa, além de permitir a adoção das medidas restritivas, teria o efeito de neutralizar as perdas geradas pelo lockdown; números por Estado estão disponíveis sob demanda”, propõem os especialistas.

O texto foi endereçado ao presidente Jair Bolsonaro, governadores e prefeitos. A Carta pede apoio dos brasileiros, da sociedade civil organizada e de gestores públicos. Clique aqui e assine.

Carta – Leia o documento na íntegra.

Acesse – https://abrilpelavida.org/

Agência Sindical

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

6  +  3  =  

Botão Voltar ao topo