Obscurantistas e fascistas querem dominar o mundo!

44
0
SHARE

Por José Nivaldo Mota*

O imperialismo e as forças reacionárias, incluindo fascistas, não dão trégua ao Cone Sul. Vivemos dias de incertezas na América do Sul, com golpes e manipulações eleitorais, tudo orquestrado pelo imperialismo norte-americano e seus vassalos.

Evo Morales foi a vítima da vez, embora tudo ainda esteja nebuloso, mas sua renúncia é o prenúncio de um ataque ainda maior. Mesmo as instituições burguesas, com governos com um verniz apenas social-democrata, são vítimas da sanha por lucro máximo do imperialismo ianque.

Olhem o Equador: praticamente já não tem moeda local, tudo é dolarizado, com governos subservientes, que aplicam planos econômicos sucessivos em que empurram as massas trabalhadoras para a mais absoluta miséria.

Vejamos o caso do Chile: privatizou-se tudo, deram um choque tão grande de neoliberalismo que levou ao absurdo de os aposentados daquele país terem o maior índice de suicídio do mundo! Apesar da miséria das massas, o povo se levantou e vem combatendo nas ruas os arrochos do capital, fazendo o governo de Sebastián Piñera retroceder em alguns pontos de seu plano econômico.

Por outro lado, quando essas massas se insurgem, no seu legítimo direito à vida e à dignidade, seus protestos são repudiados pela imprensa, de maneira global, porque esses protestos atacam de forma frontal o capitalismo.

Mas, quando essas manifestações, muito mais violentas, são conluio entre grupos fascistas, setores de igrejas evangélicas e exército, como foi o caso na Bolívia — mesmo o presidente reeleito Evo Morales convocando novas eleições —, são entusiasticamente defendidas pela mídia global como algo espetacular e contra “ditaduras comunistas”.

Obviamente, tanto Evo Morales e seu partido, o MAS (Movimento ao Socialismo), quanto Maduro na Venezuela, por exemplo, estão bem longe de serem comunistas, mas é o que se divulga e se faz acreditar nas grandes massas populares como uma grande verdade. Toda violência ali praticada contra os apoiadores do regime, no caso boliviano agora, é justificada como necessária e saudada como positivo. Entenderam a narrativa que eles dão?

Há uma grande frente conservadora no mundo, apoiada nas redes sociais, onde existe, é bom que se diga, uma militância escondida, que acende o pavio do fascismo esperando a agitação das massas, para se chegar ao ápice e esperar uma intervenção militar ou coisa parecida.

No sábado correu um áudio em vários grupos (não se sabe se são verdadeiras as intenções, mas é bem possível diante do quadro de polarização aqui no Brasil): com liberdade de Lula e Zé Dirceu, eles viram os seus canhões agora contra o STF. A ideia dessa turba é confundir as massas, aplicando os planos ultraliberais na economia e deixando o povo cada vez mais miserável.

Jogam para as massas que todo mundo é corrupto, todas as instituições estão corrompidas. Com isso desviam as atenções do povo para a aplicação daquilo que eles querem na essência: implementar tais planos para agradar os parasitas especuladores financeiros e banqueiros nacionais e internacionais.

Devemos estar em alerta de forma permanente. Não convém agora tergiversamos. Ou as esquerdas se unificam em uma plataforma comum, anticapitalista, anti-imperialista, ou vamos amargar mais retrocessos. A agenda desses grupos está bem definida, o fascismo não acabou com o fim da II Guerra Mundial, pelo contrário, os golpes nos anos 1960 e 1970 mostraram isso de forma clara. Por isso somente ganhar governos e não o poder de fato tem sido o drama das direções reformistas; inevitavelmente levam a derrotas do movimento de massas.

Evidente que devemos saudar a vitória do peronismo na Argentina recentemente, mais qual plano econômico será aplicado naquele país? Quando Maduro e seu governo, com o apoio das massas populares, derrotou a ofensiva aberta dos Estados Unidos, teve o apoio da Rússia e da China. Por interesses também no petróleo venezuelano e acordos militares e econômicos com esse país, numa nova configuração internacional, engendram pautas aonde o povo pereça em um novo salto no abismo.

Bilhões passam fome no mundo, a miséria se alastra de forma galopante, a realidade nos mostra que o capitalismo exauriu-se completamente, mas como nenhuma classe social se suicida, mesmo moribunda, cheia de tubos numa UTI, procura com guerras e golpes garantir seus lucros.

O mundo vem mostrando que o capitalismo e os capitalistas, os ricaços do mundo, associados aos seus sócios menores nos países periféricos, se alinham com os fascistas, que por sua vez atraem cada vez mais líderes evangélicos e seus rebanhos fanatizados, setores também da igreja católica que pregam o fim do papado do Papa Francisco, todos jogando do mesmo lado para a imposição do fascismo e de uma nova narrativa para a história.

Quem se enganou no caminho ou ainda mantém ilusões com o regime capitalista na tentativa de humanizá-lo, reveja seus pensamentos. Caminhamos para uma confrontação sem limites. Ou as forças de esquerda, de forma clara, estabelecem um programa para ação e de combate a essas turbas de obscurantistas, ou povo perecerá na mais trágica situação de miséria e escravidão!

*José Nivaldo Mota e da direção estadual da Unidade Popular/AL e 1º Secretário do Sinpro/AL

Os artigos desta seção são de inteira responsabilidade de seus autores.

RESPONDER PARA:

POR FAVOR ENTRE COM SEU COMENTÁRIO!
POR FAVOR ENTRE COM SEU NOME