Repórter Brasil é alvo de ataques exigindo que reportagens sejam apagadas

Ataques desrespeitam liberdade de expressão e de imprensa; organização não atenderá nenhuma tentativa de constrangimento ilegal

Repórter Brasil está sendo alvo de uma série de ataques nos últimos dias que conseguiram retirar seu site (reporterbrasil.org.br) do ar. Os invasores ameaçam continuar a ação criminosa caso reportagens não sejam apagadas.

A situação não é apenas um flagrante desrespeito à liberdade de expressão e à liberdade de imprensa, mas também possível crime de constrangimento ilegal, previsto no artigo 146 do Código Penal.

Após uma série de ataques conseguir derrubar o site por algumas horas no dia 6 de janeiro, a organização recebeu um e-mail anônimo: “Como devem ter percebido vcs passaram por alguns problemas tecnicos na ultima data. Para que isso nao ocorra novamente removam as materias nas pastas de 2003, 2004, 2005 (sic)”.

Como a Repórter Brasil não atendeu, nem atenderá nenhuma tentativa de constrangimento ilegal, ainda mais uma que represente autocensura, os ataques continuaram.

Na manhã de quinta (7), a sede da Repórter Brasil passou por uma tentativa de invasão física. Por conta da chegada de vizinhos, o arrombamento do portão não pode ser consumado, mas ele terá que passar por reparos. A segurança foi reforçada.

Na sexta (8), os criminosos deram um ultimato: “vamos esperar até 11/01 para que atendam nossas solicitações…” E, nesta segunda (11), os ataques voltaram com força, mantendo o site fora do ar por algumas horas.

Repórter Brasil é constantemente assediada por descontentes que exigem que reportagens sejam retiradas do ar. Não é possível afirmar se um deles está por trás dos ataques ou se o objetivo é manter o portal inacessível, o que deverá ser objeto de detida apuração pelas autoridades responsáveis.

A equipe de segurança digital da Repórter Brasil tem conseguido neutralizar a ação, mas eles vão mudando de estratégia, o que gera instabilidade no acesso.

Com a ajuda de nossos advogados, foram realizados boletins de ocorrência na Polícia Civil de São Paulo. E estamos comunicando o Ministério Público Federal, entre outras instituições competentes, e acompanharemos de perto o desenrolar das investigações.

O jornalismo da organização que completa 20 anos em 2021 é reconhecido e premiado internacionalmente pela cobertura de crimes ambientais e de violações aos direitos humanos.

No dia 4 de janeiro, por exemplo, a organização publicou investigação jornalística sobre a cadeia produtiva do trabalho análogo ao de escravo na pecuária bovina, que teve grande repercussão fora do país.

Se, por um lado, ataques como esse são a prova da qualidade de nosso jornalismo, por outro são um alerta a outros veículos de um novo tipo de assédio: a censura através de violência digital.

Repórter Brasil

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo