Sinpro Campinas e Região: Sindicato volta a suspender atendimento presencial

Sindicato também alerta professores para o aumento dos casos de covid no ambiente escolar

O Sindicato dos Professores de Campinas e Região (Sinpro Campinas) informa seus associados que a sede da entidade está oficialmente fechada para o atendimento presencial desde segunda-feira, 20 de junho. Tal decisão foi tomada devido ao aumento do número de casos de covid-19 no estado de São Paulo e, especialmente, nas escolas de nossa base sindical.

O fechamento temporário da sede, no entanto, não implica na paralisação dos trabalhos e dos atendimentos. Nossos diretores e funcionários continuarão trabalhando remotamente e os professores poderão contatá-los de forma online através do e-mail secretariageral@sinprocampinas.org.br, do whatsapp (19) 99777-6548 ou do telefone fixo (19) 3256-5022. A previsão é de que possamos retornar ao trabalho presencial no mês de agosto, em data a ser definida.

Lamentamos os transtornos causados, mas ao contrário do que tem sido divulgado pelas prefeituras e pelo governo do estado, a pandemia não está totalmente controlada e os casos de covid, incluindo os de maior gravidade, voltaram a registrar tendência de alta. A demanda por leitos já aponta para uma possível nova sobrecarga aos hospitais da região metropolitana de Campinas.

Nos últimos dois meses, várias escolas tiveram de suspender as aulas presenciais após alunos e funcionários contraírem covid. Este quadro tem relação direta com o relaxamento das medidas protetivas, como o uso de máscaras e o distanciamento em ambientes fechados. Somada à baixa cobertura vacinal, que ainda não abrangeu a totalidade do público jovem, a situação atual tem preocupado muitos professores, que dizem se sentir inseguros dentro das salas de aula.

Neste contexto, o Sinpro Campinas orienta a categoria para que exija das escolas o retorno ao uso obrigatório de máscaras por parte de alunos, professores e funcionários. Pedimos ainda que redobre os cuidados por meio de outras medidas de proteção, como o álcool em gel, o distanciamento, a ventilação no local de trabalho etc.
Encaminharemos às direções das escolas um pedido formal para que procedam dessa forma. Se você se sentir obrigado a trabalhar sem condições mínimas de segurança, avise o sindicato e faremos a denúncia ao Departamento de Vigilância em Saúde (Devisa) de Campinas, garantindo o sigilo de sua identidade.

Saudações cordiais,
Diretoria do Sinpro Campinas
Campinas, 20 de junho de 2022

Do Sinpro Campinas e Região

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  +  5  =  10

Botão Voltar ao topo