Sinpro Goiás: Faculdade de Montes Belos atrasa salários e prejudica professores

Os professores da Faculdade Montes Belos FMB), em São Luís dos Montes Belos, Goiás, cerca de 140, estão passando por sérios problemas, em decorrência da violação de seus direitos trabalhistas. Em reunião realizada com os professores daquela instituição de ensino superior, na noite do dia 25 de abril, a diretoria do Sinpro Goiás teve confirmada a veracidade de denúncias  recentes, o que foi confirmado pelo gestor financeiro da instituição.

As denúncias apontam para o contumaz atraso de salários, o pagamento irregular de férias, não recolhimento de FGTS e de INSS e para demissões imotivadas de professores e de auxiliares de administração escolar, em represália às manifestação de descontentamento. Isso motiva uma rápida e eficaz reação do Sinpro Goiás, em defesa dos professores.

O encontro

No início da noite do dia 25 de abril, três diretores e um assessor jurídico Sinpro Goiás, tendo à frente o seu presidente, professor Alan Francisco de Carvalho, chegaram a São Luis dos Montes Belos, para as reuniões previamente marcadas. O primeiro encontro foi com Feissal Imad, representante da Arabille Internacional Group, que opera com gestão de crédito e, há pouco mais de um mês, passou a controlar a Faculdade Montes Belos e as demais instituições de ensino que pertencem ao grupo empresarial goiano.

Feissal Imad admitiu que a instituição de ensino está em crise, ocorrem atrasos de pagamento dos professores e revelou que nem o FTGS nem o INSS têm sido recolhidos regularmente, o que resultou em vultosas dívidas com o Governo Federal. No entanto, ele assegurou que, dentro de uma semana, haverá aporte de recursos do grupo que faz intermediação de investimentos financeiros.

Orientação aos professores

Em seguida, por volta das 19h30, os representantes do Sinpro Goiás mantiveram reunião com os docentes, na sala dos professores da FMB. Nesse encontro, o professor Alan Francisco de Carvalho –  acompanhado dos também dirigentes sindicais professores Manoel da Silva Álvares e Edmilson da Silva Alves -, comentou acerca das denúncias que os docentes de São Luis haviam encaminhado ao sindicato, relatando ainda o encontro mantido pouco antes com o gestor da instituição de ensino.

O presidente do Sinpro Goiás, colocando o sindicato à disposição de todos os professores da FMB, explicou o modo com a entidade sindical agirá, em relação ao caso específico, por meio do seu departamento jurídico.

O assessor jurídico do Sinpro Goiás, José Geraldo de Santana Oliveira, explicou que o sindicato agirá principalmente por meio de ações coletivas para, assim, não expor individualmente nenhum professor. Ele ponderou que nenhum professor precisará agir individualmente e, se for o caso, deverá antes consultar o sindicato, que lhe dará a orientação e o apoio necessários. Uma das primeiras medidas do Sinpro Goiás é uma notificação à FMB, cobrando a regularização de pagamentos de salários mensais, e a documentação necessária para cálculo de multas pelos atrasos de salários, de conformidade com a Convenção Coletiva de Trabalho.

O Sinpro Goiás, há 50 anos na luta em defesa dos interesses de professores e professoras e da educação de qualidade social, não admite a violação de direitos de nenhum docente. Coerente com sua história, lançará mão de todos os meios legítimos e legais para assegurar os direitos e a dignidade do exercício do magistério pelos professores da Faculdade de Montes Belos.

Do Sinpro Goiás

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

6  +  3  =  

Botão Voltar ao topo