Sinpro-JF: Trabalhadores, organizados pelo sindicato, demonstram força

97
0
COMPARTILHE
Foto: Kiko Halfeld

Em reunião reivindicada pelo sindicato, a prefeitura afirmou, na sexta-feira, 26, que os 2.800 trabalhadores com vínculo temporário da Rede Municipal de Ensino deveriam optar pela suspensão dos salários em julho ou pela extinção dos contratos, ou seja, pelo desemprego.

De acordo com a PJF, os vereadores receberiam do Executivo uma mensagem com a proposta de interrupção dos contratos em julho, com previsão de retomada em agosto.

Correndo contra o tempo, o Sinpro-JF, imediatamente, por meio de nota, informou a gravidade da situação à categoria e convocou reunião virtual para a manhã de segunda-feira, 29.

A luta que se desdobrou após esse dia, em defesa da renda e dos postos de trabalho, mobilizou milhares de trabalhadores, organizados pelo Sinpro-JF.

Em debate com a categoria, durante a reunião de segunda-feira, o sindicato deu início às ações que resultaram em importante conquista na Câmara.

Na terça-feira, 30, o Sinpro-JF começou a pavimentar, ainda nas primeiras horas da manhã, o caminho para a construção de uma alternativa que impedisse a dispensa de milhares de trabalhadores da educação pública em meio ao agravamento da pandemia de coronavírus.

O trabalho de diálogo com os vereadores, realizado pelo sindicato, viabilizou a apresentação da proposta de auxílio emergencial de R$ 1.445, valor proporcional ao Piso Nacional, aos trabalhadores no mês de julho.

Na Câmara, foram apresentadas duas emendas aditivas à Mensagem do Executivo 4408, que tratava da suspensão dos contratos em julho.

A primeira emenda garante o auxílio neste mês.

Já a segunda confirma a retomada dos contratos em 31 de julho, que já foi assegurada em ata de reunião assinada pelo Sinpro-JF e pela Administração.

A sessão, que durou mais de cinco horas, terminou em grande conquista para o Magistério, com a aprovação das duas emendas.

Em nota, publicada também na terça-feira, o sindicato mais uma vez denunciou a chantagem feita pela prefeitura, reafirmando o posicionamento dos educadores, sensibilizando a opinião pública e convocando nova reunião para quarta-feira, 1.

O Sinpro-JF também alertou a categoria para a reivindicação do abono, convocando o Magistério a assistir à TV Câmara, e compartilhou a vitória dessa etapa da batalha logo após o encerramento da votação, na madrugada.

Em ofício aos vereadores, enviado na quarta-feira, 1º, o sindicato reiterou a luta para que a prefeitura sancione as emendas e afirmou que, caso ocorra o veto, conta com a compreensão da Casa para a promulgação.

O Sinpro-JF  também inaugurou a campanha de mobilização com o compartilhamento de hashtag, vídeo e cards, amplamente difundidos nas redes sociais.

O sindicato ainda  divulgou a petição eletrônica “Prefeito Almas, sancione as emendas da Mensagem 4408!”, que já conta com mais de duas mil assinaturas em menos de 24 horas da publicação.

Novamente reunido com a categoria na quarta-feira, o Sinpro-JF  articulou a preparação de um ato simbólico, sem aglomeração, com poucas pessoas e segurança sanitária, em frente à Secretaria de Educação (SE). A manifestação ocorreu na sexta-feira, 3, e teve a cobertura de equipe televisiva local.

Ao final do dia, a direção do sindicato realizou a “Live: Ato Virtual – Sancione, Almas”, reunindo o Magistério e fortalecendo as ações de pressão sobre a prefeitura.

A última semana foi uma grande demonstração de força de uma categoria que honra sua história de coragem, ousadia e responsabilidade.

A luta continua, companheiros!

Do Sinpro-JF

COMPARTILHE

RESPONDER PARA:

POR FAVOR ENTRE COM SEU COMENTÁRIO!
POR FAVOR ENTRE COM SEU NOME