Sinpro-Rio: Denúncias continuam após reabertura das escolas

Pandemia de COVID-19: denúncias continuam após reabertura das escolas

Desde a reabertura das escolas, neste período de pandemia da Covid-19, continuamos recebendo denúncias, enviadas pela comunidade escolar, de instituições com suspeita de casos de contaminação por Covid-19 ou com casos confirmados da doença. Também temos recebido queixas de que algumas instituições não estariam cumprindo todos os protocolos recomendados pelos órgãos competentes.

Ao receber as denúncias, o Sinpro-Rio tem comunicado as escolas do seu teor e, posteriormente, encaminhado para os órgãos fiscalizadores, já que o sindicato, por si, não tem poder fiscalizador.

Publicamos abaixo a lista de escolas das quais recebemos denúncias neste período após a reabertura das unidades, com as respectivas respostas das instituições. Assim que recebermos um retorno das instituições que ainda não entraram em contato conosco, atualizaremos esta notícia com as novas respostas.

Separamos em dois grupos gerais. Vejam abaixo:

GRUPO 1 – ESCOLAS DENUNCIADAS POR TEREM SUSPEITA DE CASOS OU CASOS CONFIRMADOS DE COVID-19, DEPOIS DA REABERTURA: 

  • ALDEIA MONTESSORI, Escola.
  • ALEGRIA E CIA (Vila Isabel)
  • ALEMÃ CORCOVADO, Escola.
  • A. LIESSIN, Colégio (Leblon/Ed. Infantil)
  • A. LIESSIN, Colégio (Barra)
  • A. LIESSIN, Colégio: “O Colégio Liessin encontra-se em conformidade com todas as normas exaradas pelas autoridades públicas de saúde (…), fato já confirmado e atestado mediante recentes vistorias realizadas pela Vigilância Sanitária da Prefeitura e pela Secretaria de Estado de Educação. Os professores integrantes do grupo de risco continuam ministrando as aulas de forma remota.”
  • ARTE VIVA, Escola (Olaria)
  • BAHIENSE, Colégio (Américas)
  • BAHIENSE, Colégio (Jacarepaguá e Barra)
  • BATISTA SHEPPARD, Colégio (Tijuca)
  • BRITÂNICA (Barra): “A Associação Britânica de Educação reitera seu compromisso com as boas práticas e medidas de proteção aos professores, alunos e demais trabalhadores contra o COVID 19 naquilo que lhe cabe e dentro dos limites de sua atuação. Necessário, ainda, que cada indivíduo siga os protocolos e procedimentos de segurança que já são de conhecimento de todos no âmbito de suas vidas privadas, sobre as quais a Associação Britânica de Educação não tem ingerência. A Instituição vem seguindo os protocolos de segurança adequados, orientando seus funcionários e cumprindo as normas pertinentes e decisões vinculantes proferidas, conforme reconhecido, inclusive, pela Vigilância Sanitária em recente vistoria.”
  • BRITÂNICA (Urca)
  • CCM, Colégio (Recreio)
  • CEURCA
  • CORES, Escola Educação Infantil (Lagoa)
  • COMPANHIA DE MARIA, Escola (Grajaú): “Informamos que o Colégio da Companhia de Maria sempre segue as determinações que levam ao bem estar e a segurança de toda a comunidade educativa, principalmente neste período de pandemia. Alunos que as famílias sinalizaram que tiveram contato com pessoas testadas positivo para Covid-19, mas que não estão com a doença foram afastados pela escola por 15 dias, a contar da data do aviso dos pais; (…) Alunos testados positivos para Covid-19 – tivemos até agora 2 casos – a turma é suspensa junto com o professor, e enviamos circulares para a turma específica e para toda a escola, para que fiquem atentos para qualquer sintomatologia; (…) Professor com suspeita de Covid-19 fica afastado da sala de aula até que seja liberado por médico para retorno, sem prejuízo dos seus direitos laborais; (…) professor testado positivo para Covid-19, o segmento é totalmente suspenso por 15 dias, caso este que aconteceu na Ed. Infantil. (…) Nossas ações são repassadas para toda a comunidade educativa, de forma transparente.”
  • CREARE, Creche (Madureira)
  • CRIATIVO E CRIATIVINHO, Colégio (Valqueire)
  • DANIELLE MATTOS (Rio das Pedras, Jacarepaguá)
  • GARRIGA DE MENEZES, Escola: “Estamos seguindo, com grande rigor, os protocolos determinados pelos órgãos competentes (…) e a fiscalização das ações que implantamos é constante. No momento, temos um caso de professor com covid-19 positivo, que se encontra afastado, bem como os educandos das turmas para as quais leciona, desde o dia que nos comunicou do aparecimento dos sintomas. Providenciamos de imediato o teste PCR, que confirmou o resultado. Além desse fato, temos outro professor, em afastamento, junto com sua turma, aguardando o resultado do teste PCR, patrocinado pela escola, com o objetivo de descartar ou não a doença. Com relação aos protocolos, afirmamos que qualquer caso suspeito que apareça, imediatamente providenciamos o afastamento do professor e das turmas que tiveram contato com ele. Com os colaboradores, também estamos atentos. Ressaltamos que os afastamentos são comunicados, no ato, aos pais e responsáveis. No que se refere ao grupo de risco, esclarecemos que os professores que estão incluídos nesse segmento encontram-se em atividades remotas e não retornaram às aulas presenciais.”
  • GOMES DA ROCHA, Unidade Educacional (Gardênia Azul)
  • HELP MÃE, Creche (Recreio – Estrada Benvindo de Novaes)
  • IGLESIAS, Colégio – (Ilha do Governador)
  • INTERNACIONAL DE EDUCAÇÃO INTEGRADA, Centro – (CIEI): “Tivemos aqui um professor que trabalha somente segundas e terças-feiras e que apresentou os primeiros sintomas somente na sexta-feira seguinte. Ele não mais voltou a escola e ficou em quarentena. Os outros professores que tinham suspeitas ficaram diretamente afastados até apresentaram o resultado negativo dos testes. A escola informou todas as famílias, tanto do caso positivo como dos casos suspeitos. (…) Além de mais, não convocamos ninguém a trabalhar presencialmente, se expondo a qualquer risco. Temos profissionais que estão trabalhando somente online e respeitamos a decisão deles. Em assim sendo, não procede a denúncia.”
  • INTERNACIONAL EVEREST, Colégio (todas as unidades)
  • INVICTUS (Campo Grande/ Santa Cruz)
  • IPÊ, Creche Escola
  • IPÊ, Creche (RIO2 Barra)
  • MOPI, Colégio (Tijuca)
  • MUNDO INFANTIL, Jardim Escola (Tijuca): “A escola se preparou devidamente para o retorno das atividades presenciais, seguindo os protocolos sanitários exigidos pelos órgãos públicos, bem como, respeitando as regras de ouro emanadas pela Prefeitura do Rio de Janeiro, inclusive, promovendo curso sobre os protocolos de retomada e equipando o quadro de funcionários e professores com dispositivos de proteção individual visando a segurança de todos. (…) Quanto às infundadas denúncias de que integrantes da comunidade escolar testaram positivo para Covid-19, temos a esclarecer que tivemos um funcionário que apresentou sintomas compatíveis com os da Covid-19, e um outro que teve contato com pessoa que testou positivo em ambiente extra muros, os quais foram imediatamente afastados, por medida de segurança, e encaminhados a buscarem orientação médica. Realizaram teste para Covid-19 e o resultado foi NEGATIVO, conforme cópia dos laudos laboratoriais arquivados na escola. (…) nosso protocolo é afastar o colaborador, imediatamente, diante de qualquer sintoma de saúde diferente do normal, tendo ou não relação com a Covid-19. Nesse momento de pandemia”.
  • NOSSA SENHORA AUXILIADORA, Instituto – (Praça da Bandeira): “Esclarecemos que a entidade mantém absoluta e estrita observância aos preceitos legais e determinações emanados pelas autoridades públicas competentes, considerando a pandemia do coronavírus /covid-19, mormente os normativos e regras de conduta, primando pela vida e saúde de toda comunidade escolar, a despeito do que tenha sido denunciado a V.Sas. Ademais, neste diapasão esclarecemos ainda que houve testagem de professores e funcionários da instituição, sendo certo que não houve convocação compulsória de professores para retorno às aulas presencias, assim como é desconhecido caso de professor(a) com covid-19 nas dependências da escola, razão pela qual não se fez necessária a suspensão de aulas presenciais.”
  • NOSSA SENHORA DA PIEDADE, Instituto (INSP- Jacarepaguá): “O Instituto Nossa Senhora da Piedade forneceu aos funcionários equipamentos de proteção individual, quais sejam, máscaras, face shield, álcool em gel e peróxido de hidrogênio. Para os funcionários que aferem a temperatura, além dos EPIs já citados, capote cirúrgico, toucas descartáveis e luvas. Os professores também receberam microfones headset individuais. (…) Ressalta-se que o que fora informado no parágrafo acima, pode ser comprovado regularmente e legalmente sempre que for necessário e oportunizado, de acordo com a ampla defesa e no devido processo legal. (…) Contratamos o laboratório LABCARE Medicina Diagnóstica para realizar o exame Swab nasofaringeo nos colaboradores que retornaram presencialmente. Todos os exames realizados tiveram resultados negativos. (…) A escola prosseguiu as atividades fazendo monitoramento dos professores, funcionários e alunos, mantendo o zelo, a prudência e o cuidado com a vida humana. (…) Durante o monitoramento, tivemos o relato de que alguns funcionários tiveram contato fora da escola com pessoas infectadas(…). As aulas foram suspensas, conforme prevê o protocolo, os profissionais foram testados e afastados, sendo dois professores e dois funcionários. Os 4 (quatro) casos testaram positivo. Destes quatro, três já retornaram e 2(dois) encontram-se na quarentena.(…) No decorrer da caminhada tivemos 10 (dez) casos suspeitos. Os profissionais e as turmas envolvidas, por prudência, foram afastados e novos exames foram realizados. Todos os casos suspeitos após exame deram negativos, o que, poderá ser comprovado.”
  • PALAS (Recreio)
  • PARQUE, Escola (Barra): “Iniciamos as aulas presenciais dia 13/10. Até o presente momento não tivemos nenhum caso interno de Covid-19. O único caso confirmado foi de uma funcionária que testou positivo antes das atividades presenciais. De pronto fomos informados e orientamos para que não viesse a Escola (o que de fato ocorreu). Só poderá vir quando testar negativo.”
  • PEIXINHO SABIDO, Creche (Av. Brás de Pina): “Tal denúncia não procede. Todas as funcionárias que voltaram a trabalhar foram testadas e as que apresentaram algum sintoma foram afastadas e só retornaram com o teste negativo. (…) Vou enviar para os Srs. Todos os testes feitos com os devidos resultados e os devidos afastamentos em caso de suspeita. (…) A creche se dispõe a receber a visita dos Srs. para que possamos provar que estamos seguindo todas as exigência e o protocolo onde está sendo tomado todo cuidado tanto com as nossas funcionárias quanto com as nossas crianças”.
  • PENSI (Freguesia)
  • PENSI, Colégio (Recreio)
  • PENSI (Tijuca)
  • PENTÁGONO, Colégio
  • QI, Colégio (Tijuca)
  • RECANTO, Colégio (Recreio): “Informamos que nossa Instituição, não tendo como evitar o retorno de suas atividades presenciais na modalidade híbrida, tomou todas as providências necessárias para receber nossos Professores, Colaboradores e Alunos. Nos orientamos pelos Planos de Retorno do Estado, do Município, pela “INSTRUÇÃO TÉCNICA: Rotina e Fluxos da Vigilância em Saúde para Enfrentamento do COVID-19 nas escolas da rede privada” e pela empresa URMES (Urgências Médicas Escolares). Atendendo vossa solicitação estamos enviando em anexo a relação de nossos Colaboradores que estão afastados. Registramos uma suspeita de covid-19 em uma de nossas turmas que após os exames de praxe não foi confirmada.”
  • SAGRADO CORAÇÃO DE MARIA, Colégio: “Todas as atividades presenciais vêm sendo realizadas de acordo com as orientações das autoridades competentes e (…) a instituição realizou diversos treinamentos antes do efetivo retorno às aulas presenciais. (…) e todos os profissionais em atividade receberam equipamentos de proteção individual. Não é verdadeira a afirmação de que um número plural de integrantes da comunidade escolar teria testado positivo para COVID-19. Fato é que houve apenas um caso confirmado de COVID-19, sendo certo que o único docente foi afastado de todas as atividades, tendo sido adotadas todas as medidas necessárias, inclusive com a comunicação do episódio à comunidade escolar e suspensão das aulas presenciais de todas as turmas com as quais o infectado teve contato. (…) Não houve convocação obrigatória de docente integrante de grupo de risco. E a instituição vem realizando periodicamente desinfecção de seu espaço físico dentro de todos os padrões de segurança impostos pelas autoridades sanitárias.”
  • SANTA MÔNICA, Colégio (Taquara).
  • SANTOS MAIA, Colégio Profissionalizante
  • SANTOS MAIA, Colégio (Rua Aracaju, Campo Grande)
  • SER – SOCIEDADE EDUCACIONAL RECREIO (Vila Valqueire)
  • SONHO ENCANTADO, Creche Escola
  • TRE-LE-LE – Creche Escola / Educarte (Campo Grande)

GRUPO 2 – ESCOLAS DENUNCIADAS POR NÃO CUMPRIREM TODOS OS PROTOCOLOS, DEPOIS DA REABERTURA:

    • 1, 2, 3 e JÁ (Méier)
    • BRAGA CARNEIRO, Colégio: “As unidades escolares Tijuca e Barra estão cumprindo todas as recomendações das regras de ouro da Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro e as demais recomendações para a continuidade do retorno às aulas presenciais. Entretanto, ficamos surpresos com a veiculação pública que a nossa instituição não fornecerá EPI’s e que não fará a testagem dos profissionais. Os nossos funcionários foram orientados a realizarem o teste para COVID-19, em locais próximos às suas residências e os que necessitam de EPI´s estão recebendo da Instituição.”
    • DUNAMIS, Creche Escola (Campo Grande).
    • EDP, Centro Escolar (Senador Vasconcelos): “Todas as exigências sanitárias citadas estão sendo atendidas, de acordo com as normas vigentes. Informamos ainda que não fomos oficialmente notificados de nenhum membro da comunidade escolar contaminado e, caso ocorra, adotaremos as medidas sanitárias protocolares.
      Quanto à ventilação, informamos que a escola possui apenas 4 turmas com aulas presenciais, a saber: Sexto ano – 05 (cinco) alunos em sala amplamente ventilada; Sétimo ano – 06 (seis) alunos em sala amplamente ventilada; Oitavo ano – 02 (dois) alunos em sala amplamente ventilada; Nono ano – 06 (seis) alunos no pátio aberto, com cobertura. Todas as salas possuem 35 (trinta e cinco) metros quadrados.
      O diretor faz uso constante de máscara e possui máscaras reservas na escola para eventualidades. No que tange ao suposto assédio, a escola desconhece tal realidade, vez que todos os professores ficaram livres para adotar o método presencial ou online. Há professores nas duas modalidades de ensino e nenhum notificou a escola quanto a possível insatisfação. Aqueles que desejaram atuar em modo presencial foram atendidos e os que optaram pelo modo online, também o foram. Não fomos oficialmente notificados quanto a professores pertencentes ao grupo de risco e, tão logo algum funcionário informe-nos, será imediatamente liberado de suas funções presenciais.”
    • ELITE, Colégio (Taquara)
    • EVANGÉLICO VIEIRA SANTA, Centro Educacional (Gardênia Azul)
    • GUGA, Creche Maternal (Ilha do Governador)
    • HAGE, Colégio: “A informação de que “alunos e funcionários circulam sem máscaras” não procede. Todos os alunos maiores de dois anos, estão fazendo uso das máscaras em tempo integral, assim como todos os funcionários. (…) Aproveitamos para informar que todos os professores, hoje trabalhando de forma presencial, estão sendo submetidos regularmente aos testes de COVID-19, não tendo havido positividade em quaisquer resultados até o momento. Aqueles que pertencem ao grupo de risco não frequentam os espaços físicos da escola.”
    • ISMART – INSTITUTO SOCIAL PARA MOTIVAR, APOIAR E RECONHECER TALENTOS.
    • KWASINSKY, Centro Educacional (GPI Cosmos)
    • LAURA MATOS, Colégio (Realengo)
    • NOSSA SENHORA DE BONSUCESSO, Colégio (Bonsucesso)
    • NOTRE DAME, Colégio (Recreio): “O Notre Dame Recreio tomou todas as medidas necessárias para garantir um ambiente acolhedor e saudável no retorno às atividades, cumprindo todos os protocolos de higienização e segurança estabelecido pelos órgãos competentes e pela Rede Notre Dame. (…) os profissionais que apresentaram qualquer sintoma gripal, sendo Covid-19 ou não, são encaminhados ao médico e posteriormente para realizar exame específico, sendo poucos os casos de Covid comprovados, 03 pessoas. Contratamos uma empresa para maior segurança, cuidado e atendimento, para acompanhamento personalizado em todos os casos de suspeita, tanto de funcionários como de estudantes. Os ambientes do Educandário são arejados e ventilados e os professores do grupo de risco ministram aulas a distância. (…) Nos causou estranheza as denúncias, pois são acusações infundadas.”
      NOTRE DAME, Colégio – IPANEMA: “O educandário segue irrestritamente todos os protocolos sanitários aprovados pelos órgãos governamentais, os procedimentos de “regra de ouro”, bem como a decisão judicial tramitando perante o Tribunal Regional do Trabalho, que permitem e garantem o retorno seguro e consciente das atividades presenciais em sistema excepcional híbrido, em especial, em relação aos integrantes do corpo docente.”
    • O SABER, Centro Educacional – (Vila da Penha): “Essa denúncia é uma inverdade, jamais seríamos irresponsáveis de permitir que pessoas estivessem dentro da escola com vírus e assim contaminasse a todos. Estamos à disposição para maiores esclarecimentos!”
    • PALMIERI, Centro Educacional
    • PENSI (Ilha do Governador)
    • PER BAMBINI, Creche: “O estabelecimento cumpre de forma fiel as regras de segurança e higiene necessárias para o combate da COVID-19. (…) A capacidade normal do estabelecimento é de 40 crianças. Sendo que com a retomada das atividades frente ao cenário de pandemia a capacidade foi reduzida, comportando atualmente apenas 16 crianças, sendo divididas em 08 para cada turno, manhã e tarde. (…) Com relação às professoras, salientamos que nenhuma retornou ao trabalho presencial, o quadro foi reduzido sendo praticado atualmente apenas atividades recreativas através de poucas auxiliares. (…) a direção da instituição cumpre fiel e restrita responsabilidade em todos os protocolos de segurança”.
    • PIPILA, Sociedade Educacional: “Informamos que a Pipila Creche Ltda está seguindo todos os protocolos sanitários necessários para o funcionamento e para a segurança de todos os alunos e funcionários. Os dois casos a que se referem, e que não são professores da escola, não apresentaram sintomas no ambiente escolar e comprovadamente se infectaram longe da escola ( afirmação do pneumologista que fez o tratamento em uma das funcionárias) , quando apresentaram já se afastaram da comunidade escolar , pois esta é uma das normas que adotamos e que informamos em reuniões previamente realizadas. Inclusive o retorno só poderá ocorrer com a apresentação do atestado médico liberatório. Não temos professores trabalhando que integram grupo de risco. Sabemos que é um momento muito difícil para todos e todo o cuidado é pouco para a segurança de todos”.
    • PRIMEIRA, Creche Escola (Barra): “Temos 2 unidades na Barra. Na Unidade Barra I, não ocorreram casos de COVID-19. Na Unidade Barra II , duas professoras adoeceram simultaneamente, foram testadas positivo e afastadas desde os primeiros sintomas, e seguem bem e em quarenta. Estas duas turmas também foram afastadas e colocadas em quarentena. Não surgiram novos casos nestas turmas ou na Creche. Os pais receberam circular informativa e o Protocolo de Segurança, baseado nas orientações da VISA, MS, SBP, UNICEF e Fiocruz seguem em uso. Quanto ao uso de máscaras, as crianças em idade para tal o fazem, conforme orientação do MS.”
    • SANTA MADRE TERESA, Colégio.
    • SER (Vila da Penha): “Como instituição de ensino com mais de 30 anos de trajetória, valorizamos a transparência e o compromisso com os princípios éticos que são tão importantes para a base da educação.(…) tivemos conhecimento de que uma pessoa da nossa administração testou positivo, sendo que não apresentava qualquer sintoma relevante na data em que esteve presencialmente em nossa unidade e cumpriu rigorosamente os protocolos de higiene, uso de máscara e distanciamento durante sua estadia. (…) Tão logo tomamos ciência do resultado do teste e seguindo o que preconiza o item 18 do nosso protocolo, estamos adotando as seguintes medidas: Assistência ao funcionário; Isolamento imediato do funcionário por 14 dias; Comunicação imediata por escrito aos contactantes (pessoas que tiveram contato mais significativo, mesmo respeitando o distanciamento mínimo); Notificação às autoridades de saúde, por meio de teste realizado em hospital habilitado; Suspensão das aulas presenciais temporariamente; (…) Cabe ressaltar, que nenhum outro funcionário ou aluno da nossa instituição apresenta quaisquer sintomas que sejam de nosso conhecimento até o presente.”
    • TRAMPOLIM BILÍNGUE, Escola (Barra)
    • UNIVERSIDADE DA CRIANÇA, Colégio (COLÉGIO ELÍSIO EUZÉBIO): “A denúncia recebida através do e-mail enviado para nossa Instituição NÃO PROCEDE. Sugerimos que o denunciante apresente provas concretas (informando nome completo de cada profissional denunciado) da acusação citada, para que possamos apurar e comprovar a não procedência da denúncia.”

Do Sinpro-Rio

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo