Sinpro ABC: Enredo da Camisa 12 faz homenagem ao professor

1011
0
SHARE

Uma das alas ironiza os tucanos: “uma ave que não gosta de professor”

A Escola de Samba Camisa 12, do Grupo de Acesso 2 de São Paulo, vai levar para avenida, como enredo do Carnaval 2019 a homenagem aos professores.

O samba ganhou a adesão de centenas de docentes e no barracão da Escola de Samba em Predizes não tem quem não saiba a letra. Com um refrão que mistura crítica social e muita ironia não fica ninguém parado.

O áudio com a música tem chegado pelo WhatsApp para grupos e mais grupos e viralizou:

(…) E o salário, oh! Tá doido

A crueldade é feroz

Podem oprimir e até nos espancar

Mais ninguém vai calar a nossa voz.

A homenagem também teve espaço para crítica acida ao governo do Estado: Com um grande pássaro, nas cores amarelo e azul – as mesmas da legenda – carrega cacetete e escudo com a inscrição “Choque”. O figurino faz menção à atuação da polícia nos protestos de professores de São Paulo e o PSDB, partido que comanda a governo da capital.

Para o presidente da agremiação, Edson Facholla é tradição da Camisa 12 tratar de temas polêmicos. Ele acredita que unir recreação com critica social é também um dos objetivos do carnaval. “É o ambiente perfeito para essa união”

Batizado como “Professores, Camisa 12 orgulhosamente desfila essa homenagem a vocês, mestres na arte de ensinar!”, o enredo exaltará os heróis das salas de aula, inclusive personagens famosos, como o Professor Raimundo, eternizado por Chico Anysio. O último carro da escola terá ainda 40 professores de verdade.

Um dos trechos do enredo diz

(…) Aos heróis do nosso tempo

Que não se entregam jamais

Apesar das injustiças e assédios morais

Ao falar de assédio moral o samba da Camisa 12 entra no polêmico Projeto de Lei do Escola Sem Partido.

O carnavalesco da Escola Glelson Pinheiro Silva, em entrevista para o departamento de Jornalismo do SinproABC, diz que procurou harmonizar as alas, abordando tanto a beleza da profissão, mas também o momento vivido pelos docentes que sofre dentro e fora da sala de aula . Ë uma forma de denuncia contra a Lei da Mordaça, disse Glelson.

Do Sinpro-ABC

RESPONDER PARA:

POR FAVOR ENTRE COM SEU COMENTÁRIO!
POR FAVOR ENTRE COM SEU NOME