Batalha eleitoral é a mãe de todas as batalhas

Coletivo de Comunicação da Contee realizou 1ª reunião nesta quinta-feira (30). Debateu as eleições 2022 e comunicação sindical

“A batalha eleitoral é a mãe de todas as batalhas que temos neste ano.” Foi assim que o coordenador da Secretaria de Comunicação Social da Contee, Alan Francisco de Carvalho, definiu o papel da comunicação sindical na noite desta quinta-feira (30), na primeira reunião do Coletivo de Comunicação da Confederação.

“A Contee tirou uma posição congressual de apoiar a candidatura de Lula, posição reforçada pela Diretoria Executiva [em manifesto divulgado dia 9 de junho]”, lembrou Alan, explicando a razão pela qual as eleições 2022 foram o tema escolhido para esse primeiro encontro.

A posição foi endossada pelo professor Gilson Reis, que salientou que “o movimento sindical brasileiro precisa colocar toda sua estrutura a serviço do projeto eleitoral”.

Ambos também destacaram o objetivo central da proposta de reunião do grupo, que é, nas palavras de Alan, “apesar das dificuldades financeiras, tornar mais efetiva a ação sindical, o diálogo dos sindicatos com a sociedade em seu conjunto, mas, mais especificamente, com sua base de representação”.

Já Gilson frisou que “não existe entidade sindical que pode abdicar da construção de uma comunicação de qualidade” e que é “através da comunicação é que teremos capacidade de construir e orientar nossa atuação política cotidiana”.

E, justamente por se tratar de campo estratégico e de decisão política, é que, segundo ele, a Contee, apesar da redução de 80% no orçamento, “manteve toda a estrutura de comunicação de pé”.

“Isso é essencial para que possamos enfrentar a comunicação empresarial corporativa que mais desinforma do que informa, assim como enfrentar a comunicação do submundo das fake news.”

Futuro em jogo

Para tratar sobre o tema do encontro, a Secretaria de Comunicação da Contee convidou o jornalista Altamiro Borges, diretor do Centro de Estudos da Mídia Alternativa Barão de Itararé, que traçou panorama da conjuntura eleitoral.

“Depois de viver uma onda muito sombria, em que a perversão neoliberal foi dando base para a criação de correntes ultradireitistas em todo o mundo, estamos a respirar bons ventos”, avaliou, ponderando, no entanto, que o cenário ainda é instável.

“Há uma estabilidade nas pesquisas que apontam para uma eleição decidida. A 3ª via dançou. Só mágica para reverter o quadro eleitoral [e a possibilidade de vitória de Lula, quiçá no 1° turno. Mas isso é falando dentro da democracia, dentro das regras democráticas. Bolsonaro vai respeitá-las?”.

Por isso, Miro concordou que a batalha eleitoral é prioritária. “Se perdermos essa batalha, o futuro da Contee e dos Sinpros é não ter futuro.” Responsável pelo diagnóstico a respeito da comunicação na base da Confederação, feito, em 2017, pelo Barão de Itararé, Miro reiterou a constatação da época: “Mesmo concorrendo em desvantagem, a Contee tem um baita sistema de comunicação”.

“Temos uma batalha para ganhar a eleição, tomar posse e governar. É preciso concentrar todas as forças e evitar desperdiçar energias com pautas que não estão colocadas”, ponderou.

Entre as frentes de atuação importantes contra o governo Bolsonaro, porque expõem as fragilidades do chefe do Poder Executivo, estão o caos econômico, o aumento da pobreza e da fome e, agora, as denúncias sobre a corrupção no MEC, contra as quais a Contee defende instauração imediata e CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito).

À fala de Miro seguiu-se o debate, com manifestações dos dirigentes das entidades filiadas presentes. A Secretaria de Comunicação da Contee conduzirá as ações a partir dos apontamentos, inclusive com a divulgação de campanha que tenha como mote a eleição e a educação.

Táscia Souza

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

9  +  1  =  

Botão Voltar ao topo