Bolsonaro pede visto de turista, mas encontra resistência nos EUA

Ex-presidente solicitou um visto de turista para permanecer nos Estados Unidos. No Congresso norte-americano, 46 parlamentares pedem sua extradição para o Brasil

por André Cintra

Se depender de sua vontade, o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) vai continuar no autoexílio de luxo em um condomínio de Orlando, nos Estados Unidos. Nos últimos dias, o ex-presidente solicitou um visto de turista para permanecer por mais seis meses longe do Brasil.

Bolsonaro saiu do Brasil em 30 de dezembro e entrou nos Estados Unidos com um visto diplomático, já que ainda era presidente da República. Como o visto diplomático só tem 30 dias de validade, o ex-capitão só pode continuar no imóvel de oito quartos em Orlando se apresentar às autoridades outra autorização. Caso o visto de visitante seja concedido, ele poderá esticar sua luxuosa estada por seis meses.

Há três dias, o senador Flávio Bolsonaro (PL-RJ) deu a dica sobre os planos do pai, ao dizer que não havia previsão para um eventual retorno. “Pode ser amanhã, pode ser daqui a seis meses, pode não voltar nunca, não sei”, declarou o filho 01 de Bolsonaro. Segundo Flávio, ainda que a ex-primeira-dama Michele Bolsonaro já tenha voltado ao Brasil, o pai segue “desopilando” nos Estados Unidos.

Mas a paz do ex-presidente pode ser frustrada por alguns fatores. No Congresso norte-americano, 46 parlamentares pedem sua extradição para o Brasil, sobretudo após os atos golpistas de 8 de janeiro. O presidente norte-americano, Joe Biden, já manifestou seu repúdio a posições antidemocráticas que Bolsonaro defendeu à frente do Planalto.

Contra o ex-presidente pesam ainda os problemas de saúde. Como ele precisa se submeter a uma nova cirurgia no intestino – e o custo do procedimento é caro demais nos Estados Unidos –, a família quer que Bolsonaro volte ao Brasil especialmente para se tratar.

A presença de Bolsonaro requer, ainda, patrocinadores. O visto de turista proíbe seu portador de exercer atividades remuneradas, como palestras e aulas. Além disso, a remuneração que o PL lhe prometeu para o período pós-Presidência está temporariamente suspensa, já que o STF (Supremo Tribunal Federal) bloqueou o Fundo Partidário da legenda.

Vermelho

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

1  +  1  =  

Botão Voltar ao topo