Ameaças à educação fazem aumentar a importância da ação ‘Tolerância zero’ à política do governo português

Os professores portugueses, organizados pela Fenprof, vão realizar hoje (9) uma ação de mobilização geral da categoria, batizada de “Tolerância zero para com o governo e a sua política”, que se prolongará até o próximo sábado (13). Conforme a Fenprof, se essa iniciativa tinha já grande importância no sentido de, com os docentes, discutir a atual situação na educação e os compromissos de luta que devem ser assumidos para uma mudança das políticas educativas em curso em Portugal, ela se faz ainda mais imprescindível diante dos cortes anunciados pelo governo português no último domingo (7), que atingem as áreas de saúde, previdência e educação.

Por todo o país serão realizadas nesta terça-feira centenas de reuniões e plenárias sindicais. A Fenprof considera que a necessidade de cortar despesa pública, nomeadamente na educação, anunciada domingo pelo primeiro-ministro Pedro Passos Coelho frente à crise econômica no país, poderá pôr em xeque a gratuitidade do ensino obrigatório, porque os gastos no setor estão no mínimo.

A Contee manifesta sua indignação pela crise e as ameaças à educação enfrentadas pelos professores portugueses, um exemplo claro de como o capital pode destruir países e colocar a população e seus direitos básicos em total desequilíbrio. Por isso, mais uma vez, a Contee, que está ao lado da Fenprof na Comunidade dos Países de Língua Portuguesa – Sindical Educação (CPLP-SE), expressa seu apoio e sua solidariedade à luta dos docentes em Portugal.

Assista à entrevista com o secretário-geral da Fenprof, Mário Nogueira
Saiba mais sobre a mobilização no site da Fenprof

Da redação, com informações da Fenprof

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

8  +  1  =  

Botão Voltar ao topo