Deputado bolsonarista agride a jornalista Vera Magalhães em debate

O deputado estadual Douglas Garcia (Republicanos), apoiador de Jair Bolsonaro e de Tarcísio de Freitas, hostilizou e agrediu verbalmente a jornalista Vera Magalhães nos bastidores do debate entre candidatos ao governo de São Paulo, na terça-feira (14).

Garcia, que estava no evento a convite do candidato Tarcísio de Freitas, aproximou-se de Vera Magalhães enquanto filmava e começou a chamá-la de “vergonha” para o jornalismo.

O deputado estadual e agora candidato a deputado federal também ficou falando que ela recebe R$ 500 mil de salário da TV Cultura, o que é mentira. Douglas Garcia estava repetindo os ataques e as mentiras faladas por Jair Bolsonaro contra Vera Magalhães durante o debate na Band.

O apresentador do debate, Leão Serva, pegou o celular de Douglas Garcia e arremessou para longe, o impedindo de continuar a agressão e a tentativa de humilhar Vera Magalhães.

O bolsonarista foi correndo atrás do celular enquanto gritava “jornazistas”. Pelas redes sociais, ele disse que não se arrepende “de absolutamente nada do que fiz hoje” e disse que não vai pedir desculpas para Vera Magalhães.

A jornalista teve que sair escoltada do local em que foi realizado o debate.

A perseguição dos bolsonaristas contra a jornalista se intensificou depois do debate na Band, durante o qual Jair Bolsonaro não gostou que ela citou sua sabotagem contra a vacinação. Durante o próprio debate, Bolsonaro a chamou de “vergonha para o jornalismo”.

Em seguida, publicou em suas redes sociais que ela recebia R$ 500 mil por ano da TV Cultura, que é do governo do Estado de São Paulo. A informação é mentirosa.

Depois de ver a repercussão negativa que teve o ataque de seu apoiador contra a jornalista, Tarcísio de Freitas, ex-ministro de Bolsonaro, disse que “lamenta” o ocorrido e fingiu que não conhecia Douglas. Entretanto, foi fotografado junto com ele aos risos.

INADMISSÍVEL

Vera Magalhães gravou um vídeo apontando que a agressão de Douglas Garcia contra ela é um “absurdo que não pode acontecer sob pena da gente colocar em risco a nossa democracia”.

“Fui agredida dentro do auditório em que ocorria o debate pelo deputado Douglas Garcia. Eu estava sentada na primeira fileira do debate, local destinado aos jornalistas que iriam fazer perguntas aos candidatos. Esse senhor se ajoelhou na minha frente e começou a me filmar, me xingar de ‘vergonha do jornalismo’, reproduzindo a frase de Jair Bolsonaro, dizendo que eu ganho R$ 500 mil por ano, quando isso não é verdade”, afirmou.

Ela enfatizou que Douglas Garcia usou “um convite que recebeu do staff do candidato Tarcísio Freitas” para “me acossar, me ameaçar, achando que com isso vai me calar”.

Vera contou que desde o debate em que Jair Bolsonaro a agrediu ela vem “sofrendo ataques violentos e virulentos de uma base bolsonarista autorizada por ele”.

CASSAÇÃO

A deputada estadual Leci Brandão (PCdoB-SP) informou que seu partido, junto com a bancada do PT, apresentou um pedido de cassação do mandato de Douglas Garcia pelo ataque feito contra a jornalista Vera Magalhães.

“É vergonhoso para o Parlamento Paulista ter um representante como ele”, disse Leci.

“Foi uma cena triste, protagonizada por um candidato que já demonstrou o seu extremismo em diversas ocasiões, agindo de forma oportunista para ganhar ‘likes’ e votos apelando para a violência de gênero, seguindo exatamente a cartilha misógina do candidato à Presidência que ele apoia”, continuou.

“A Alesp precisa agir e mostrar que não compactua com violência de gênero e ataques à liberdade de imprensa. Não podemos mais permitir que a barbárie tome conta da política. Desejamos e trabalharemos para que o Conselho de Ética faça a coisa certa!”, completou Leci Brandão.

A CBN e o jornal O Globo emitiram nota condenando Douglas Garcia.

Leia a íntegra da nota do GLOBO e da CBN em repúdio ao ataque:

“É inaceitável sob todos os aspectos o ataque feito pelo deputado estadual Douglas Garcia (Republicanos) à jornalista Vera Magalhães, colunista do GLOBO, da CBN e apresentadora da TV Cultura. Não há espaço para esse tipo de ataque contra profissionais de imprensa em um ambiente democrático. Ao ofender e constranger a jornalista, uma das mais respeitadas do país, o deputado desferiu um atentado à imprensa livre. A situação é agravada pelo fato de Douglas estar no debate como convidado do candidato Tarcísio de Freitas, que, menos mal, repudiou a agressão. O episódio também prova, para quem ainda tinha alguma dúvida, que a conduta violenta do presidente Jair Bolsonaro, que atacou a jornalista no debate da Band, há duas semanas, gera agressões subsequentes. Os ataques não impedirão que o jornalismo independente siga fazendo as perguntas necessárias a todos que ocupam, ou pretendem ocupar, cargos de poder”.

Hora do Povo

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

76  +    =  79

Botão Voltar ao topo