Senadora Soraya Thronicke pede CPI para investigar atos golpistas

Documento conta com assinaturas suficientes para investigação ser instalada; líder do governo no Senado, Jaques Wagner (PT-BA) também assinou requerimento

A senadora Soraya Thronicke (União Brasil-MS) pediu a abertura de CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) para investigar os atos golpistas que depredaram os prédios do Congresso Nacional, do STF (Supremo Tribunal Federal) e do Palácio do Planalto, neste domingo (8).

O documento já conta com número suficiente de assinaturas para investigação ser instalada na Casa. O líder do governo no Senado, Jaques Wagner (PT-BA), também assinou o requerimento proposto por Thronicke.

Durante o ato terrorista, os golpistas não encontraram nenhuma resistência policial e depredaram os prédios dos Três Poderes — o Congresso Nacional, o STF e a sede do Poder Executivo, que é o Palácio do Planalto.

A iniciativa da senadora e a rápida adesão dos senadores mostram que há unidade e coesão na Casa para não apenas investigar os atos golpistas, mas confrontá-los e puni-los.

Escopo da investigação

No documento, a senadora pede que se apure a responsabilidade pelos atos antidemocráticos e terroristas praticados pelos golpistas.

Ela solicita, ainda, a investigação de eventuais omissões cometidas por administradores públicos federais, estaduais e municipais, no controle da segurança no sábado (7) e domingo.

A CPI, que têm fortíssimas possibilidades de ser instalada, ainda pretende investigar a existência de financiadores e difusores deste e outros movimentos antidemocráticos e terroristas.

Para que o pedido seja protocolado, é necessário a assinatura de 27 senadores. Em seguida, o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), deve analisar o requerimento.

Intervenção na segurança pública

Anteriormente, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) afirmou, em entrevista coletiva, “que houve falta de segurança” e decretou intervenção na segurança pública no Distrito Federal, até dia 31 de janeiro de 2023.

Nesta semana, o Congresso deve se reunir para votar, e tudo indica, aprovar o decreto de Lula, para que o governo federal intervenha na segurança pública no DF.

No âmbito da Justiça, o ministro do STF, Alexandre de Moraes, determinou o afastamento do governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), pelo prazo de 90 dias.

Ele também determinou a prisão em flagrante dos golpistas pelos crimes de atos terroristas, associação criminosa e abolição violenta do Estado Democrático de Direito, golpe de Estado, ameaça, perseguição e incitação ao crime.

Prisão de Anderson Torres

A AGU (Advocacia-geral da União) pediu ao STF a prisão de Anderson Torres, ex-ministro da Justiça de Jair Bolsonaro (PL), e de todos os envolvidos em invasões a prédios públicos não apenas no Distrito Federal, mas em todo o País.

Torres era o secretário de Segurança Pública do Distrito Federal quando bolsonaristas terroristas invadiram os prédios do Congresso, do STF e o Palácio do Planalto neste domingo.

O agora ex-secretário de Segurança Pública foi exonerado neste domingo por Ibaneis, antes de Moraes tê-lo afastado por 90 dias.

Depois de mais uma malfadada tentativa de golpe de Estado por terroristas bolsonaristas, os poderes se reconstituem e se unificam contra mais uma tentativa de ruptura antidemocrática por parte de apoiadores do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL).

Marcos Verlaine

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

30  +    =  33

Botão Voltar ao topo