Nota de repúdio aos cortes de verbas nas universidades públicas

537
0
SHARE

A Confederação Nacional dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino — Contee vem a público, uma vez mais, expressar sua indignação e seu repúdio à decisão do MEC de cortar 30% das verbas destinadas às universidades de Brasília (UnB), Federal Fluminense (UFF) e Federal da Bahia (UFBA) em função da realização de atos políticos em seus campi.

O ministro da Educação, Abraham Weintraub, classificou os atos como “balbúrdia” e avisou que outras instituições que seguirem o exemplo terão recursos cortados. Talvez por seu total despreparo em relação ao assunto de sua pasta, o ministro desconheça alguns dos significados do substantivo balbúrdia, que pode ser grande desordem, distúrbio, caos.

Grande desordem é o que promove o MEC e o governo protofascista ao qual serve ao ceifar investimentos. Distúrbio é o que fazem Bolsonaro, Weintraub e cia. ao tomar medidas baseadas em perseguição ideológica e tentar eliminar o pensamento crítico. Caos é a tentativa do próprio Ministério da Educação de destruir a universidade pública.

Reiterando o combate à criminalização do pensamento e da livre manifestação, a Contee reitera também sua luta em defesa da educação pública, gratuita, democrática, inclusiva, crítica e de qualidade socialmente referenciada, bem como da ampliação dos investimentos em ensino, pesquisa e extensão — para os quais a universidade pública brasileira tem papel de protagonista.

Brasília, 30 de abril de 2019.

Confederação Nacional dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino — Contee

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here