Sinpro/RS emite nota de repúdio à definição ofensiva ao termo professora no Google

70
0
SHARE

No texto, o Sindicato considera inadmissível que o Google sirva como instrumento para esse desserviço à sociedade

O Sinpro/RS emitiu nota de repúdio a definição controversa e ofensiva dada pelo Google ao termo professora, em consulta ao dicionário digital do site de buscas nesta quarta-feira, 23 de outubro. O fato teve alcance nacional e foi repercutido pelo jornal Extra Classe, na última terça-feira, 22.

No texto, o Sindicato “considera inadmissível que uma ferramenta como o Google sirva como instrumento para esse desserviço à sociedade”. Leia a nota na íntegra:

NOTA DE REPÚDIO

O Sindicato dos Professores do Estado do Rio Grande do Sul – Sinpro/RS manifesta seu repúdio ao destaque dado pelo Google à expressão do significado das palavras professora e professor em consulta ao dicionário.

Como explica a matéria do jornal Extra Classe, ao lançar a pergunta “o que é professora?” ou “o que é professor?” ou “definição de professor ou professora” aparecem no topo das buscas duas definições controversas e ofensivas. O dicionário do Google define professora como “prostituta com quem adolescentes se iniciam na vida sexual” e professor “aquele que professa uma crença, uma religião”.

O Sinpro/RS considera inadmissível que uma ferramenta como o Google sirva como instrumento para esse desserviço à sociedade, especialmente neste momento histórico em que se faz necessário a valorização e o respeito à profissão professor.

Do Sinpro/RS

RESPONDER PARA:

POR FAVOR ENTRE COM SEU COMENTÁRIO!
POR FAVOR ENTRE COM SEU NOME