Sergio Amadeu explica o colonialismo de dados e a trincheira dos algoritmos na guerra neoliberal

Um dos principais desafios colocados para os setores progressistas, o funcionamento dos algoritmos nas platafomas digitais e as políticas por trás deste complexo tema serão destrinchadas em live promovida pelo Centro de Estudos da Mídia Alternativa Barão de Itararé nesta quinta-feira (25), a partir das 19h. O sociólogo e professor Sérgio Amadeu, referência nos estudos sobre cultura digital no Brasil, aproveita o lançamento de seu novo livro para debater o assunto com jornalistas da mídia alternativa.

Colonialismo de dados – Como opera a trincheira algorítmica na guerra neoliberal (Ed. Autonomia Literária), organizado por Amadeu em parceria com Joyce Souza e João Francisco Cassino, joga luz sobre este debate urgente para compreender o o atual estágio da sociedade da informação. “As tecnologias, os algoritmos e seus modos de tratamento e armazenamento, bem como os fluxos de dados, não beneficiam todas as populações nem enriquecem do mesmo modo todas as comunidades e localidades. As plataformas, muitas vezes articuladas junto a Estados ricos e poderosos, são enormes máquinas de captura e armazenamento de dados pessoais, responsáveis por criarem bilhões de perfis de usuários, que depois são usados para promover influência comportamental para fins de propaganda comercial, ideológica ou política”, diz a descrição da publicação.

“Neste livro, pesquisadores, professores e militantes destrincham o conceito de colonialismo de dados e discutem a forma como ele estaria se engendrando nas estruturas sociais, econômicas e políticas de uma forma que ainda não é consensual. Há tensões importantes a serem percorridas e a busca de uma definição e de uma análise operacional desse conceito e outros conceitos como colonialismo digital e imperialismo de dados tecem o panorama das reflexões aqui apresentadas”, completa o descritivo.

No debate com a mídia alternativa, a ideia é que este debate seja traduzido à audiência do canal do Barão de Itararé no YouTube e de canais parceiros, a fim de democratizar a discussão em torno deste tema que é decisivo para as democracias contemporâneas. O livro abrange artigos que tratam desde inteligência artificial, privacidade e proteção de dados até discussões mais profundas sobre colonialismo digital e formas de resistência como o caso da moeda digital indígena Oxybaten.

Assista ao vivo e participe através do canal do Barão de Itararé no YouTube. A conversa será mediada pela coordenadora da entidade, Renata Mielli. Inscreva-se agora mesmo e ative o lembrete para ser notificado quando a atividade tiver início:

Barão de Itararé

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

64  +    =  66

Botão Voltar ao topo