Sinpro Minas: Estado amplia vacinação contra meningite para jovens e adultos

Poderão ser imunizados jovens de 16 a 30 anos, estudantes universitários e técnicos e profissionais de saúde e da educação

A Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) anunciou a ampliação do público-alvo para imunização com a vacina Meningocócica C. Poderão ser vacinados contra a meningite jovens de 16 a 30 anos, estudantes e, sem limite de idade, professores e trabalhadores da educação superior e profissionais de saúde.

“A meningite C é uma doença que podemos prevenir por meio da vacinação. Portanto, não podemos abrir mão de vacinar. Seguimos agora com duas metas: alcançar 95% de imunização entre as crianças de 1 ano de idade e imunizar este novo público”, disse o secretário de Estado de Saúde, o médico Fábio Baccheretti.

A ampliação temporária da vacina tem como objetivo aumentar a proteção contra a doença, que, desde 2017, não atinge a meta de cobertura. Atualmente, apenas 75% das crianças mineiras foram imunizados contra a doença. A vacina foi introduzida na campanha de vacinação do estado em 2009.

“Se a gente incluiu essa vacina no calendário há 12 anos atrás, esse grupo é o que não foi vacinado na infância. Nós vamos aumentar a cobertura vacinal protegendo ainda mais a população. Com isso, a bactéria corre risco menor de transmissão e mortes”, afirma Baccheretti. A meningite C é um dos tipos mais agressivos da doença, que pode levar rapidamente à morte ou deixar graves sequelas.

O imunizante estará disponível em todas as Unidades Básicas de Saúde do estado, para a faixa etária ampliada, até fevereiro de 2023.

A vacina meningocócica C (Conjugada) está contemplada no Calendário Nacional de Vacinação e é recomendada aos 3 e 5 meses de vida e um reforço com 1 ano de idade. Além disso, atualmente, também está disponível para adolescentes de 11 e 14 anos.

Clique aqui e veja a previsão do quantitativo de doses que serão disponibilizadas às Unidades Regionais de Saúde. 

A doença

A meningite meningocócica é causada pela bactéria Neisseria meningitidis (meningococo) e se caracteriza por ser uma infecção das membranas que recobrem o cérebro. A vacinação é a principal maneira de prevenir a doença. As vacinas são seguras e eficazes, protegendo as pessoas contra a doença.

O sorogrupo de meningococo mais frequente no Brasil é o C, razão pela qual a vacina foi incluída em 2010 no Calendário Nacional de Vacinação da criança pelo Programa Nacional de Imunizações (PNI). Desde então, o número de casos de todos os tipos de meningite caiu quase três vezes no país, e o de casos do tipo C caiu quase quatro vezes.

Quem vacina hoje?

A vacina é administrada em esquema de duas doses, aos três e cinco meses de vida, e uma dose de reforço, preferencialmente, aos 12 meses de idade.

Normalmente, para as crianças que por algum motivo perderam a oportunidade de receber a vacina nas idades indicadas, recomenda-se a administração de uma dose até os quatro anos, 11 meses e 29 dias de idade.

“Nós vamos continuar trabalhando esse grupo já conhecido de crianças. Mas, agora nós temos um grupo novo para correr atrás para que a gente consiga evitar essa doença”, disse o secretário da Saúde de Minas Gerais.

Para Baccheretti, apesar da baixa cobertura vacinal, o isolamento devido à COVID-19 conseguiu frear o avanço da doença.

“A meningite é uma doença infecciosa e o fator mais importante é o convívio. Em 2020, o isolamento evitou gripe, meningite. Quando comparamos os dados com 2019 vemos que dentro do convívio social normal nós estamos igual”, avalia.

Com informações da Agência Minas e Jornal Estado de Minas

Do Sinpro Minas

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  +  61  =  67

Botão Voltar ao topo