Sinpro-Sorocaba: Categoria rejeita reajuste parcelado

Professoras e professores do ensino superior da base do Sinpro-Sorocaba, reunidos em assembleia virtual na sexta-feira (13), rejeitaram a contraproposta de reajuste salarial.

Na semana passada, o sindicato patronal ofereceu 4% sobre os salários de março e 2% somente em janeiro de 2023, mais 30% de abono em outubro (valor não incorporado ao salário). O percentual não repõe as perdas salariais e está longe da inflação do período – lembrando que o reajuste da educação básica foi de 10,57% e da rede Sesi/Senai 10,80%.

Vale destacar as dificuldades que têm marcado as negociações com o ensino superior. As mantenedoras querem mexer em direitos conquistados como bolsa de estudos e recesso escolar, e mudar a forma de atribuição de aulas. É um tremendo retrocesso.

A decisão do Sinpro-Sorocaba se junta às assembleias realizadas em todo o estado de São Paulo, uma vez que a campanha salarial é unificada e coordenada pela Fepesp (Federação dos Professores).

Professora, professor: os direitos trabalhistas no ensino superior estão sob ameaça e precisamos de mobilização e união para defender a categoria!

Do Sinpro-Sorocaba

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  +  71  =  72

Botão Voltar ao topo