Carta aberta aos gestores do grupo metodista de educação

Em cristalino abuso de direito e assédio moral, instituições de ensino preferem chantagear os/as credores/as já desligados/as e, especialmente, os/as que mantêm contratos ativos com a esfarrapada alegação de que, se o plano de recuperação judicial não for aprovado, não receberão os créditos trabalhistas

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

5  +  5  =  

Botão Voltar ao topo