CUT saúda o povo peruano pela vitória de Pedro Castilho

Nota do presidente e do secretário de Relações Internacionais da CUT parabeniza os trabalhadores pela vitória do professor e sindicalista nas eleições presidenciais do Peru

O presidente da CUT, Sérgio Nobre, e o secretário de Relações Internacionais, Antonio Lisboa, divulgaram nota nesta quinta-feira (10) parabenizando os trabalhadores e as trabalhadoras do Peru pela eleição do professor e sindicalista Pedro Castilho à presidência do país.

A vitória de Castilho representa uma vitória do chamado “Peru Profundo”, dos camponeses, indígenas, das trabalhadoras e dos trabalhadores – em suma, de todas e todos aqueles esquecidos e desprezados pelas classes dominantes peruanas”, diz trecho da nota.

A nota ressalta ainda a derrota da candidata Keijo Fujimori, herdeira de uma ditadura corrupta e assassina, que promoveu a morte e a perseguição, ataques aos direitos da classe trabalhadora e concentração das riquezas nacionais.

Confira a íntegra da nota

CUT saúda o povo peruano pela vitória de Pedro Castilho

A Central Única dos Trabalhadores (CUT) parabeniza a classe trabalhadora peruana pela vitória do professor e sindicalista Pedro Castilho nas eleições presidenciais do último dia 06 de junho. A eleição de Pedro Castilho, do partido “Peru Livre”, representa uma vitória do chamado “Peru Profundo”, dos camponeses, indígenas, das trabalhadoras e dos trabalhadores – em suma, de todas e todos aqueles esquecidos e desprezados pelas classes dominantes peruanas.

Também ressaltamos a derrota da candidata fascista, Keijo Fujimori. Herdeira política de seu pai, o ex-ditador Alberto Fujimori, uma vitória de Keijo, significaria revitalizar, mesmo que historicamente, uma ditadura corrupta e assassina, que promoveu a morte e a perseguição de opositores, a esterilização forçada de mais de 300 mil mulheres e de cerca de 22 mil homens e que promoveu um regime econômico baseado no ataque aos direitos da classe trabalhadora e na concentração das riquezas nacionais. Keijo Fujimori pretendia, inclusive, anistiar o pai – que atualmente encontra-se preso por corrupção e crimes contra a humanidade.

Não podemos deixar de destacar que, assim como as elites brasileiras fizeram em 2018, a burguesia peruana não titubeou em abraçar o fascismo representado pelo fujimorismo – colocando, como já é de costume na América Latina, a exploração da classe trabalhadora acima da democracia e dos direitos humanos.

Desejamos que o presidente eleito estabeleça um diálogo efetivo com nossas companheiras e companheiros da CGTP e da CUT Peru, em torno das reinvindicações das trabalhadoras e dos trabalhadores peruanos e dos seus compromissos de campanha – como, por exemplo, a imediata convocação de uma Assembleia Constituinte que enterre a Constituição de 1993, forjada ainda na ditadura de Fujimori, de maneira autoritária e submissa aos interesses do capital e do imperialismo.

Saudamos os militantes que estão nas ruas de todo o país comemorando e lutando para que o resultado das urnas seja respeitado – diante das infundadas denúncias de fraude por parte da candidata derrotada. Seguiremos atentos e vigilantes para que Pedro Castilho tome posse e para que faça um governo de todo o povo peruano, que promova os direitos das minorias e que possa contribuir para a necessária e urgente integração latino-americana.

São Paulo, 10 de novembro de 2021

Sergio Nobre
Presidente

Antonio Lisboa
Secretário de Relações Internacionais

CUT

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

81  +    =  87

Botão Voltar ao topo