Número de indecisos é maior entre mulheres, eleitores de baixa renda e no Sudeste

Na reta final da campanha, líderes nas pesquisas intensificam corrida para atrair quem ainda não escolheu um candidato

A duas semanas do primeiro turno, os presidenciáveis Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e Jair Bolsonaro (PL), que lideram as pesquisas de intenção de voto, intensificaram a busca por eleitores que ainda não escolheram um candidato.

Os dois aparecem à frente no agregador de pesquisa Locomotiva/CNN. O ex-presidente tem 45%, e o atual mandatário, 33%.

As pesquisas dos institutos Datafolha, Ipec e Quaest, divulgadas nos últimos dias, mostram que os indecisos são, em sua maioria, mulheres e eleitores de escolaridade e renda mais baixa, principalmente das regiões Sul e Sudeste do Brasil.

À frente nas pesquisas, Lula pediu a seus apoiadores que convençam os indecisos a escolherem sua candidatura. “Quem fica agarrado o dia inteiro no celular, quem fica usando ‘Zap’, quem fica no TikTok, no ‘TocToc’, é utilizar essa ferramenta para conversar com as pessoas indecisas e mostrar a responsabilidade de mudar este país”, disse em evento realizado em São Paulo, na quarta-feira (14).
Bolsonaro também vem acenando aos grupos que apresentam a maior quantidade de indecisos, como o público feminino. “Quero apenas corrigir uma coisa que foi falada aqui por alguém: não é atrás de um grande homem que tem uma grande mulher, é ao lado de um homem que existe uma grande mulher”, disse em Natal, também na quarta-feira.

A seguir, a CNN destaca as principais características dos eleitores brasileiros que ainda não escolheram em quem votar em outubro, segundo os institutos de pesquisa.

O perfil dos indecisos

As pesquisas têm indicado tamanhos diferentes para o grupo que ainda não manifesta uma preferência nestas eleições. A sondagem do Datafolha divulgada em 9 de setembro mostra, no levantamento espontâneo (no qual o entrevistado é questionado sobre seu voto sem que os candidatos sejam mencionados), que 17% do eleitorado está nessa situação.

O levantamento do Ipec, divulgado três dias depois, indica que os indecisos são 12% do eleitorado. Já a pesquisa da Quaest, de quarta-feira (14), aponta que o grupo pode ser maior: 29%.

Entre as mulheres, o percentual de indecisos no Datafolha chegou a 22%; entre os homens, a 11%. A proporção de pessoas que não sabem em quem votar também é maior no eleitorado feminino em comparação com o masculino nas sondagens do Ipec (14% contra 8%) e da Quaest (34% contra 25%).

Em relação à faixa etária, o maior índice de indecisos aparece, nas três pesquisas, entre os mais jovens. No Datafolha, por exemplo, cerca de 19% dos eleitores de 16 a 24 anos não escolheram um candidato ainda. A menor taxa é registrada entre os brasileiros de 25 a 34 anos: 14%.

Quando o assunto é escolaridade, a maior proporção de indecisos está entre os que cursaram até o ensino fundamental (20% do total, no Datafolha), e a menor parcela está entre os que completaram o superior (11%). No Ipec, todos os níveis estão empatados tecnicamente.

Indecisos por escolaridade, segundo pesquisa espontânea do Datafolha

Ensino fundamental – 20%
Ensino médio – 18%
Ensino superior – 11%

Já no levantamento da Quaest, 34% dos que cursaram até o ensino fundamental não escolheram candidato; dentre os que finalizaram o superior, são 22%.

Em relação à renda, a dúvida em quem votar é maior entre os mais pobres. Segundo o Datafolha, 20% dos que ganham até dois salários mínimos não escolheram um candidato, contra apenas 7% dos que recebem entre 5 e 10 salários. Nas sondagens do Ipec e da Quaest, as maiores taxas de indecisos também estão no eleitorado que ganha até dois salários mínimos.

Indecisos por renda, segundo pesquisa espontânea do Ipec

Até 1 salário mínimo – 12%
De 1 a 2 salários mínimos – 13%
De 2 a 5 salários mínimos – 10%
Mais de 5 salários mínimos – 8%

As pesquisas também permitem mapear os indecisos por região. No Sudeste, pelos dados do Datafolha, essa parcela do eleitorado equivale a 21%; no Sul, a 20%; no Norte, a 17%; no Nordeste, a 10%; e no Centro-Oeste, a outros 10%.

Nos levantamentos do Ipec e da Quaest, Sul e Sudeste também têm o maior número de indecisos, mas a pesquisa espontânea do Ipec traz um recorte sobre “condição do município”. Áreas descritas como “capital” tem 9% de indecisos; “periferias”, 14%; e “interior”, 12%.

Indecisos por região, segundo pesquisa espontânea do Ipec

Sul – 14%
Sudeste – 14%
Centro-Oeste – 9%
Nordeste – 7%
Norte – 9%

A pesquisa Quaest, por sua vez, mostra estabilidade entre os fiéis de diferentes religiões: 29% dos católicos estão indecisos, 29% dos evangélicos e 31% dos que seguem outra ou nenhuma religião.

Em relação às pesquisas estimuladas, quando os nomes dos candidatos são apresentados aos entrevistados, 3% estão indecisos na Datafolha, 4%, no Ipec, e 6%, na Quaest. Em relação aos recortes por gênero, idade, renda e região, por exemplo, as tendências são as mesmas das pesquisas espontâneas.

O levantamento do Datafolha ouviu 2.676 pessoas, entre 8 e 9 de setembro, e foi registrado na Justiça Eleitoral com o número BR-07422/2022. O da Ipec (BR-01390/2022) fez 2.512 entrevistas entre 9 e 11 de setembro. Já o da Quaest (BR-03420/2022) entrevistou 2.000 pessoas, entre 10 e 13 de setembro. Todos eles foram presenciais e têm margem de erro de dois pontos percentuais.

Debate

As emissoras CNN e SBT, o jornal O Estado de S. Paulo, a revista Veja, o portal Terra e a rádio NovaBrasilFM formaram um pool para realizar o debate entre os candidatos à Presidência da República, que acontecerá no dia 24 de setembro. O debate será transmitido ao vivo pela CNN na TV e por nossas plataformas digitais.

CNN Brasil

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  +  13  =  16

Botão Voltar ao topo