Sinpro/RS: Entidades ligadas à educação pedem o veto ao PL do ensino domiciliar

Documento endereçado ao governador Eduardo Leite foi entregue no início da tarde da segunda-feira, 21, em audiência com o chefe de gabinete da Casa Civil, Jonatan Brönstrup

Foto: Igor Sperotto

Representantes de entidades ligadas à educação entregaram, no início da tarde de segunda-feira, 21, ao chefe de gabinete da Casa Civil do governo do estado do Rio Grande do Sul, Jonatan Brönstrup, e ao subchefe legislativo da pasta, Luiz Gustavo Borges Carnelos, ofício dirigido ao governador Eduardo Leite pedindo o veto do Projeto de Lei 170/2019. Aprovado pela Assembleia Legislativa gaúcha no último dia 8 de junho, o PL dispõe sobre a educação domiciliar no estado (homeschooling).

“Não entendemos como um grupo pequeno de famílias conseguiu articular essa proposta na Assembleia Legislativa”, ponderou a professora Cecília Farias, diretora do Sindicato dos Professores do Ensino Privado do Rio Grande do Sul (Sinpro/RS). “O ensino domiciliar é um retrocesso imenso na educação do Rio Grande do Sul”.

A deputada Sofia Cavedon, que integra o movimento pelo veto, destacou no encontro as duas funções básicas da escola: “Uma, é permitir uma situação permanente e contínua de interação com o outro, que é alguém diferente. A outra, é de ser um lugar de compartilhamento de conhecimentos e de conteúdos. Há um tipo de aprendizagem que só acontece no ambiente escolar”. O PL 170, assegura Cavedon, reduz a educação escolar estritamente ao aprendizado dos conteúdos escolares.

Leia a íntegra no jornal Extra Classe.

Do Sinpro/RS

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

5  +    =  11

Botão Voltar ao topo