Todo apoio à Cuba socialista

Ao tempo em que perpetua o criminoso bloqueio econômico contra a pequena Cuba, gigante socialista no Caribe, o governo norte-americano de Joe Biden incentiva e mobiliza os meios de comunicação internacionais para derrubar o governo cubano. O embargo unilateral dos Estados Unidos já foi condenado 29 vezes na Organização das Nações Unidas (ONU).

Ao contrário dos Estados Unidos, durante a gestão de Donald Trump, e do presidente brasileiro Jair Bolsonaro, Cuba se valeu da ciência para combater a pandemia de covid-19. Mesmo com a imposição das barreiras econômicas que impedem a chegada de muitos insumos na ilha, o número de mortes por covid em Cuba não chegou a 1.600.

A grave crise econômica que envolve o país se deve principalmente ao bloqueio. Valendo-se das agruras vividas pela população, oposicionistas foram às ruas em algumas cidades. Em resposta, ocorreram também atos em apoio ao governo socialista. “A contrarrevolução sonha com uma guerra entre cubanos. Não vamos dar este gosto. Respondemos com unidade, disciplina e trabalho”, disse o presidente Díaz-Canel. “Muitos dos problemas que estão acumulados hoje não são pela pandemia, mas pelas restrições financeiras”, acusou o ministro de Economia, Alejandro Gil Fernández.

Os meios de comunicação monopolizados pela direita aproveitaram o momento para aumentar a ofensiva contra o governo cubano e o socialismo. Biden e Bolsonaro se apressaram em apoiar as manifestações. Mas dirigentes e lideranças políticas democráticas, no Brasil e no mundo, apoiam a independência e soberania cubanas e exigem o fim dos embargos econômicos.

A Confederação Nacional dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino – Contee, representante de mais de 1 milhão de professores e técnicos administrativos que atuam na educação privada no Brasil, coloca-se ao lado da sociedade cubana e das organizações de trabalhadoras e trabalhadores da educação/SNTECD, e da Central dos Trabalhadores de Cuba/CTC, na defesa da soberania de seu país e contra o bloqueio econômico e investidas norte-americanas.

Cuba é um exemplo de resistência às intervenções estrangeiras na América Latina e seus assuntos internos devem ser resolvidos por seu próprio povo.

Brasília, 14 de julho de 2021

Confederação Nacional dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino – Contee

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

7  +  3  =  

Botão Voltar ao topo