Mazela da fome no Brasil é o preço da preguiça e da incompetência de Bolsonaro, diz líder do PT

Em duro pronunciamento na tribuna da Câmara, na noite desta quarta-feira (8), o líder da Bancada do Partido dos Trabalhadores, deputado Reginaldo Lopes (MG), creditou a mazela da fome apontada pela pesquisa Rede Brasileira de Pesquisa em Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional (Rede Penssan), divulgada hoje, ao ócio governamental liderado por Bolsonaro. Segundo o levantamento, de novembro de 2021 e abril de 2022, 33,1 milhões de pessoas passam fome no Brasil.

“Esse é o preço que o País está pagando por ter eleito um presidente preguiçoso, que não dedica ao cargo de presidente da República. Talvez seja o presidente que tem nesses três anos e seis meses o menor número dedicado à agenda em prol do Brasil. Ele gosta de falar mentiras, são no mínimo umas oito por dia, e ainda acabou com o planejamento do País”, criticou Lopes.

O líder petista destacou, entre outros atos nocivos do governo, o desmantelamento do Ministério do Planejamento e, segundo o deputado, a consequência de tudo isso “é um País do improviso”.

“Essa improvisação geral do seu governo tem levado o povo brasileiro a pagar uma conta caríssima. Infelizmente o País voltou para o mapa da fome depois de muita dedicação e trabalho de vários brasileiros, em especial do presidente Lula, com o Programa Bolsa Família”, lembrou Reginaldo Lopes.

33 milhões de brasileiros estão passando fome

Dentre aqueles que lutaram contra a fome, o deputado referenciou o trabalho coordenado pelo ministro do Desenvolvimento Social e Combate a fome e atual deputado Patrus Ananias (PT-MG), o trabalho incansável do Betinho e Henfil.  “Betinho foi um líder para denunciar a fome e hoje estamos assistindo de maneira lamentável que o Brasil tenha, neste momento, mais de 33 milhões de brasileiros passando fome”, lamentou.

Outro dado preocupante levantado pelo estudo lembrado pelo líder, é que, em pouco mais de um ano, a fome dobrou nas famílias com crianças menores de 10 anos de idade — passando de 9,4% em 2020 para 18,1% em 2022. “Talvez mais de 10 milhões de crianças nesse momento vão dormir com fome. É inaceitável porque o Brasil é um país que mais exporta alimentos para o mundo. Como aceitar essa dura realidade?”, questionou Reginaldo Lopes.

Para ele, isso é retrato da incompetência de Bolsonaro. Reginaldo observou que nenhum outro país que saiu do mapa da fome, retornou a essa condição. “Portanto, Bolsonaro não tem empatia, não reage, pelo contrário, tem destruído os programas da segurança alimentar”.

Papel regulador do Estado

Lopes frisou que o atual presidente da República praticamente destruiu o papel regulador do Estado, do ponto de vista de estoque, de preços de alimentos, coordenado pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). Segundo o líder, tudo isso traz consequência também para aqueles que estão trabalhando, e que ganham até 2 salários mínimos.

“Essas pessoas não têm, hoje, condição de alimentar adequadamente a sua família por que, de acordo com a pesquisa, mais de 60% dos brasileiros estão vivendo uma insegurança alimentar. Ou seja, tem recursos para apenas uma alimentação”, observou.

O líder do PT classificou tal situação como “dramática”. Para ele, o Parlamento deve debruçar sobre essa questão. “Nós precisamos discutir esses temas aqui nesta Casa, porque como diz o Betinho, ‘quem tem fome, tem pressa’. Precisamos apontar as causas, as consequências, mas acima de tudo, ainda faltam seis meses para terminar esse festival de horror que é o governo Bolsonaro. Nós precisamos apresentar soluções e saídas para o povo brasileiro”, reconheceu Reginaldo Lopes.

PT na Câmara

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  +  13  =  20

Botão Voltar ao topo