E vem lá de Pernambuco – Sinpro PE: Sem acordo, segue a greve dos professores da Funeso

Em assembleia realizada na noite desta segunda-feira (18), os professores da Fundação de Ensino de Olinda (Funeso) rejeitaram a contraproposta patronal e decidiram permanecer em greve por tempo indeterminado. Os professores que estão de greve há 7 dias sustentam que só voltarão às atividades mediante o pagamento dos salários e da atualização de FGTS e INSS.

A contraproposta patronal havia estimado a regularização dos salários pendentes a partir do dia 25 de agosto, o que frustrou, mais uma vez, a categoria que há muitos anos vem sofrendo com os desmandos da direção desta tradicional faculdade.

A Funeso que pertencia ao seleto grupo das faculdades que faziam parte do que havia de melhor em educação no Estado, ao longo dos anos vem sendo precarizada e a situação de seus profissionais só se agrava pela falta de respeito e ética.

“Professores sem salários e alunos sem aulas. É o reflexo de mais uma crise enfrentada pela unidade educacional. Os professores não podem pagar pela má condução da administração da Funeso.  Essas dificuldades financeiras terminaram em desgaste no corpo docente. Estamos em busca dos nosso direitos! Então continuaremos paralisados até que as irregularidades sejam sanadas!”, afirmou o secretário de Assuntos Educacionais do Sinpro Pernambuco, Luciano Paz.

Uma nova rodada de negociação entre representantes patronais e o Sindicato dos Professores de Pernambuco (Sinpro) acontece hoje, às 19h

Por Mariza Lima – Assessoria de Comunicação do Sinpro PE

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  +  56  =  66

Botão Voltar ao topo