Ex-ministros vão ao STF para cobrar Bolsonaro por acusação de pedofilia

Bolsonaro associa ex-ministro dos Direitos Humanos à pedofilia e grupo de titulares da pasta nos governos anteriores aciona o Supremo para que o presidente dê explicações

São Paulo – Dez ex-ministros e ex-secretários dos Direitos Humanos apresentaram uma interpelação criminal ao Supremo Tribunal Federal (STF) para que o presidente Jair Bolsonaro explique declarações que os associariam à pedofilia. Entre eles, há integrantes dos governos Fernando Henrique Cardoso, Lula e Dilma Rousseff.

Na peça, os ex-ministros apresentam o vídeo que registrou a participação de Bolsonaro em um evento chamado “Simpósio da Cidadania Cristã”, na Igreja Batista Central de Brasília. Logo no começo de seu discurso, o presidente parte para o ataque aos ex-ministros. As informações são da coluna da jornalista Mônica Bergamo, na Folha de S.Paulo.

“Quem lembra o que era o Ministério dos Direitos Humanos? Quem eram as pessoas que já ocuparam aquele ministério? Como uma, por exemplo, que tinha lá um site chamado ‘Humaniza Redes’, que era… que incentivava a pedofilia. Dizia que o pedófilo era um doente, [que] devia ser entregue para um hospital, e não ser levado a uma delegacia.”

Bolsonaro ainda atacou o Plano Nacional de Direitos Humanos então em vigor, “onde tínhamos 180 itens para destruir a família brasileira”.

Na interpelação, assinada pelos advogados Antonio Claudio Mariz de Oliveira, Tarso Genro e Soraia da Rosa Mendes, os ex-ministros afirmam que Bolsonaro costuma usar o microfone para “promover ofensas e ataques à honra alheia”. E dizem que desta vez, “numa só tacada”, atingiu a honra e a reputação de todos eles ao imputar “conivência e estímulo a comportamento [a pedofilia] dotado de relevante reprovação social”.

Pedem ainda que Bolsonaro “cite fatos concretos” que sustentem suas afirmações, informe se algum dos ex-ministros foi processado ou investigado “sob acusação de prática de pedofilia” —e que razões o levaram a afirmar que o plano de direitos humanos tinha itens “para destruir a família brasileira”.

Os ex-ministros que acionaram o STF são Gilberto Vargas, Ideli Salvatti, José Gregori, Maria do Rosário, Mário Mamede, Nilmário Miranda, Nilma Lino Gomes, Paulo Sérgio Pinheiro, Paulo Vannuchi e Rogerio Sottili.

Rede Brasil Atual

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  +  22  =  24

Botão Voltar ao topo